PUBLICIDADE

Bolsonaro se reuniu com presidente do PL em busca de acordo antes de se pronunciar publicamente

Colunista apurou que presidente firmou acordo.

PUBLICIDADE

Durante o silêncio absoluto das últimas quase 40 horas, após o resultado do segundo turno das eleições, o presidente Jair Bolsonaro tentou articular seus próximos passos. Isso porque deixando a presidência, ele não perde apenas a estabilidade de moradia e salário, por exemplo, mas também o foro privilegiado.

Com isso, Bolsonaro se torna vulnerável a processos por crimes cometidos tanto no âmbito do exercício do mandato quanto também por crimes comuns. Sabendo que deve ser alvo de processos, o presidente se reuniu com Valdemar Costa Neto.

Neto é presidente do PL, partido que acolheu o presidente para as eleições deste ano. Segundo informações da coluna de Igor Gadelha, o Bolsonaro e Valdemar fizeram acordos após o resultado do segundo turno.

Dentre os termos, segundo a coluna, estaria um cargo para Bolsonaro dentro do partido. Valdemar teria se comprometido a arcar com salário, moradia e até mesmo advogados para o presidente, que deve ganhar um escritório em Brasília.

PUBLICIDADE

Ainda segundo apurou a coluna, a expectativa é a de que a estrutura permita a Bolsonaro continuar articulando oposição ao presidente eleito, Lula, mesmo sem cargo político. Ainda especula-se que Bolsonaro vá tentar cargo nas eleições de 2024.

Bolsonaro já responde a processos no STF e também em outras esferas. Existe ainda a previsão de que novas investigações possam resultar em novas denúncias. Para firmar oposição, Bolsonaro precisa não perder seus direitos políticos e isso significa provar sua inocência na Justiça.

Via: metropoles.com