Condenada pelo assassinato de Isabella Nardoni, Ana Carolina perde direito ao semiaberto após ligar para filhos da cadeia

Anna Carolina Jatobá, retorna ao regime fechado depois de fazer chamada de vídeo

PUBLICIDADE

Condenada pela morte de sua enteada Isabella Nardoni, uma menina linda, que na época tinha apenas 5 anos, Anna Carolina Jatobá, perdeu o direito que tinha depois de ser flagrada em conversas com seus filhos, dentro da penitenciária onde está em Tremembé.

Ela cumpre pena na penitenciária que fica localizada a 147 quilômetros da cidade de São Paulo, desde que foi culpada pela morte da pequena Isabella, em março de 2008. Dentro da prisão ela fez uma chamada de vídeo, cometendo uma falta grave, perdendo ao direito que tinha ao regime semiaberto.

PUBLICIDADE

A nota foi afirmada pela Secretaria da Gestão do Presídio (SAP), de acordo com o comando do governador João Doria. A informação emitida pela pasta, conta que Ana Carolina Jatobá, em um atendimento de vídeo chamada com sua advogada, a defensora fez uma ligação de celular as presas para os familiares da detenta, realizando um contato dela com seus parentes, o que é um ato inaceitável.

Carolina e Nardoni, pai de Isabella, foram condenados pela justiça pelo assassinato da criança. O júri entendeu na ocasião, que a menina foi asfixiada e em seguida arremessada do sexto andar do edifício onde eles moravam, em São Paulo.

PUBLICIDADE

Carolina Jatobá foi incriminada pela justiça a 26 anos de prisão, e responde em regulamento fechado, pelo delito cometido, já o pai de Isabella, Alexandre Nardoni, está respondendo a 31 anos de prisão.

Alexandre iniciou seu cumprimento de pena no regime semiaberto, no ano passado, em abril. A deliberação foi da juíza Sueli Zeraik Oliveira Armani, que atua na Vara de Atuações Criminosas na cidade de Taubaté.

PUBLICIDADE

Em relação ao o uso de vídeo chamada dentro da penitenciária, a SAP evidenciou que o requerimento é consentido, desde que, seja utilizado como forma de contato entre os presos e os oficiais de justiça, como juízes, advogados e os defensores públicos.

PUBLICIDADE

Escrito por Redatora Cs

Escrevo vários tipos de conteúdo, mas gosto muito de escrever notícias sobre famosos, histórias de superação e testemunhos.