Ex-presidente Fernando Collor defende auxílio emergencial de R$600 até que a pandemia acabe

O atual senador utilizou sua conta oficial no Twitter para falar sobre o auxílio emergencial.

PUBLICIDADE

O fim do auxílio emergencial inicial de três parcelas está próximo do fim para os brasileiros que foram aprovados ainda no mês de abril. Diante da situação, muito se discutiu a respeito da prorrogação do auxílio.

O atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, já afirmou que o benefício vai ser estendido em pelo menos 2 meses, porém, o valor não iria ser de 600 reais. O fato de que o auxílio de 600 reais que para muita gente já é pouco, ser diminuído, causou muita repercussão nas redes sociais.

PUBLICIDADE

Milhares de brasileiros não concordaram com a decisão, porém, Bolsonaro alegou que os cofres públicos não iram aguentar mais duas parcelas neste valor. A afirmação foi dada por ele nesta última segunda-feira, dia 22 de junho.

Nos últimos dias diversos políticos estão se posicionando sobre o tema e deixando claro a rejeição com a diminuição do valor. Um dos que se mostrou contra a redução foi o ex-presidente e atual senador de Alagoas, Fernando Collor.

PUBLICIDADE

Ele utilizou uma de suas redes sociais para dizer que o valor de 600 reais está sendo o salvador de milhares de brasileiros espalhados por todo o brasil e por esta razão o auxílio não poderia ser alterado negativamente. Segundo Collor, é do Estado a obrigação de dar o mínimo para os mais necessitados.

“O auxílio emergencial de R$ 600,00 vem sendo fundamental para milhões de brasileiros nesta crise. É imprescindível estender o benefício até o final da calamidade, com o mesmo valor. O Estado tem a obrigação de continuar a prover as necessidades mínimas da população vulnerável”, publicou o senador na internet.

PUBLICIDADE

Já se passaram três meses desde o começo da pandemia no Brasil e a doença continua ganhando força. Já são mais de 51 mil mortes registradas por causa do Covid-19 e mais de 1 milhão de casos confirmados.

Muitos brasileiros ainda estão esperando a segunda e primeira parcela do auxílio. Essas são as pessoas que só foram aceitas depois de 1 ou 2 meses após o lançamento do benefício.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.