Em pleno dia de voto, mesária leva a filha de 1 ano para o local de votação em Fortaleza e acaba sendo dispensada:”Eu infelizmente, não arranjei ninguém para que cuidasse da minha filha”

A mulher se justificou, após ter levado a filha, por motivo de não ter quem ficasse com ela em período de trabalho.

PUBLICIDADE

Na manhã deste domingo (15), em pleno dia de votação, a engenheira Diana Marinho, de 33 anos, foi suspensa de trabalhar como mesária. Tudo isso, porque teve que levar a filha, para o local onde iria decorrer a votação no Colégio Estadual Justiniano de Serpa.

Para não se prejudicar, no seu trabalho como “mesária”, e por não conseguir ninguém a quem deixar a filha, ela decidiu comparecer assim mesmo no local de trabalho.

PUBLICIDADE

“Eu infelizmente, não arranjei ninguém para que cuidasse da minha filha. Por isso mesmo assim resolvi vir, porque ia acabar por me prejudicar de algum jeito, porque no caso de eu não comparecer, seria bem pior. Então, eu resolvi vir tentar, e me suspenderam”, relata.

Segundo a engenheira, tudo aconteceu no último momento, porque ela não conseguiu comunicar o departamento com antecedência. “Normalmente, é sempre a minha sogra que fica com ela, mas ela também tinha que vir votar, a responsabilidade é totalmente da mãe, e eu não tive uma segunda escolha”, finaliza.

PUBLICIDADE

Este é um caso de muitos outros, em tempo de votos, mas pior sendo é que estamos a enfrentar uma pandemia contra o novo coronavírus. Que acaba por colocar em causa, muitos postos de trabalho devido a não ter quem deixar os filhos.

PUBLICIDADE

No caso de Diana, se tratava de dia de votação, no qual o parente que poderia cuidar da filha, também precisava de se deslocar para deixar o seu voto.

 

 

 

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!