Jovem de 23 anos, com tumor raro morre enquanto aguardava realizar uma biópsia em SP:”Deixaram morrer, vamos fazer justiça”

A jovem acabou por não resistir, o caso aconteceu em Praia Grande, litoral de SP.

PUBLICIDADE

Leidiana Araujo dos santos, de 22 anos faleceu nesta segunda-feira enquanto aguardava realizar uma biópsia para saber o resultado concreto sobre o seu estado de saúde. A jovem sofria de um tumor raro no quadril, e estava a enfrentar uma batalha para conseguir tratamento.

“Isto foi uma total negligência do Hospital Irmã Dulce. Mandaram ela para outra unidade, sem qualquer relatório.

PUBLICIDADE

Entretanto, o médico enviou uma carta para o hospital, a fim de marcar uma biópsia, e marcou uma nova consulta para ela levar os exames. Mas quando chegou na Praia Grande, falaram direto  que não realizavam esse tipo de procedimento.

Então já na segunda-feira(1), eu me dirigi até à ouvidoria, e disse que iria chamar a polícia, caso nada fosse feito. Então eles acabaram por marcar o exame, mas infelizmente chegou tarde demais”, conta a tia da jovem.

PUBLICIDADE

A familiar conta ainda que a jovem já estava a fazer tratamento para a osteoporose, há mais ou menos um ano, mas que só descobriu que estava com um tumor, já nos finais de abril. A família estava reversando as idas ao hospital enquanto ela esteve internada.

Segundo ainda informações da tia, a jovem conseguiu que fosse transferida para o atendimento especializado em Santos, mas por negligência, o hospital anterior não enviou os exames que eram necessários.

PUBLICIDADE

Segundo a tia, a jovem não conseguia mais andar. Ela esperou por 15 dias para poder concluir a biópsia, mas tarde demais acabou por morrer devido à demora e do procedimento, vindo a óbito nesse fim de semana. Leidiane, deixa um filho de dois anos.

Eles, no hospital deixaram a minha sobrinha morrer, sem exame e sem tratamento. Está doendo demais para nós familiares. O que eles fizeram, e uma injustiça, não dá para aceitar.Nós vamos fazer com que a justiça seja feita”, conta a tia indignada.

Numa nota enviada, à unidade  também informou que tinha auxiliado o hospital com um agendamento e atendimento Oncológico na Beneficência Portuguesa, no servido de referência para câncer na região.

A direção do Hospital Municipal Irmã Dulce, também se manifestou diante o ocorrido, dizendo que a questão já jovem teve todos os recursos possíveis e disponíveis na mesma unidade.

Ainda na mesma nota, ela apresentava uma grande necessidade de um atendimento na área de oncologia.

Os resultados concretos de diagnóstico, só pode ser dada de pois de realizar vários exames, incluindo a imagem, suficiente para que tal hipo tece seja afirmada, ratificando na qualidade de inserção da paciente, que foi feita.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!