Júri condena médica a 20 anos de prisão por matar o próprio filho de 3 anos

O Tribunal do Júri de Brasília condenou, na quinta-feira (14/10), a médica Juliana Pina de Araújo a 20 anos de prisão em regime fechado por matar o filho, João Lucas de Pina Feitosa, de 3 anos.

PUBLICIDADE

Na última quinta-feira (14) o Tribunal de Júri de Brasília condenou a médica Juliana Pina há 20 anos de prisão por matar o filho João Lucas de 3 anos.

O juiz responsável pelo caso concedeu que Juliana venha permanecer internada em uma clínica para tratamento.

PUBLICIDADE

O crime aconteceu em junho de 2018 no quarto andar do Bloco J, a criança foi levada para o Hospital Infantil mas ela não resistiu, faleceu na unidade.

Segundo o porteiro Juliana teria descido do apartamento após matar o filho e tentou cometer suicídio, os dois foram levados para o hospital por moradores do prédio, eles usar o próprio carro da médica para leva-los ao hospital.

PUBLICIDADE

Juliana continua internada por todos esses anos em uma instituição psiquiátrica, o menino de três anos não resistiu e morreu.

O Tribunal de Justiça decidiu a prisão da médica, o conselho de medicina em 2020 decidiu a interdição cautelar de Juliana por dois anos, ela não pode exercer a profissão nesse período.

PUBLICIDADE

A advogada de Juliana disse que é contra a sentença, vai apresentar novos recursos na próxima semana, a defesa argumenta a semi-imputabilidade de Juliana, ela estava doente e é contrária a decisão do Júri.

Os jurados tomaram uma decisão unânime baseado nos fatos condenando a médica, a advogada diz que não foi apresentado recurso de esclarecimento sobre a semi-imputabilidade e nesse caso foi reconhecido pelo Instituto Médico Legal e também pela perícia, por isso pretende recorrer a decisão.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.