Justiça Indiana decide que homem que apalpou menina de 12 anos não cometeu abuso pois ele tocou na roupa da adolescente

A Justiça de Mumbai, na Índia decidiu, na semana passada, que um homem de 39 anos que apalpou uma menina de 12 anos não cometeu assédio sexual porque a vítima estava vestida, e os juízes enfrentam protestos organizados no país.

PUBLICIDADE

Na Índia a justiça de Mondaí decidiu na última semana que o homem de 39 anos que apalpou o corpo de uma menina de 12 anos, não cometeu nenhuma assédio porque a criança estava de roupas, ele tocou nas vestes.

A partir dessa decisão vários protestos foram realizados no país, a população não concorda com essa decisão tomada pela justiça.

PUBLICIDADE

A corte de Segunda instância tomou a decisão e considerou que o homem não tocou na pele da criança e por isso não houve abuso mas sim moléstia sexual.

O crime aconteceu em 2016, segundo informações da Polícia o homem chamou a criança para ir até a sua casa para dar uma fruta, então tocou na vítima e tentou tirar sua roupa.

PUBLICIDADE

A primeira sentença dada pela justiça condenou o homem a três anos de prisão, ele recorreu e uma segunda instância decidiu que não houve abuso.

A juíza que julgou o caso afirmou que diante de uma situação como essa definiu que não houve ataque sexual por que não se encaixa nesse quadro, é preciso mais provas e alegações para que haja uma condenação rigorosa.

PUBLICIDADE

Mas de acordo com a lei de proteção à criança estabelecida em 2012, não há necessidade de ter contato direto com ou sem roupa para ter um crime, uma organização não governamental deseja entrar na justiça para reverter a decisão, enquanto isso vários protestos são feitos no país.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.