Mãe leva filha com doença rara ao hospital e enfermeiras pensam que ela havia queimado a criança com água quente

As enfermeiras pensaram que a mãe era culpada pelo estado da criança.

PUBLICIDADE

Quando a mãe Casey Parkin viu uma pequena marca na testa da filha Huntar, pensou que não passava de uma picada de mosquito.

Mesmo quando os médicos suspeitavam de doenças da mão, febre aftosa que é uma doença comum na infância que causa dor de garganta, erupções cutâneas e úlceras eles informaram que a doença desapareceria em alguns dias.

Mas dentro de 24 horas a pele de Huntar entrou em erupção e ela se deteriorou rapidamente. Quando uma enfermeira acusou Casey de queimar sua filhinha, ela ficou arrasada, pois pouco tempo depois que a doença surgiu os médicos descobriram que ela tinha uma doença ultra-rara.

Huntar sofria de síndrome da pele escaldada estafilocócica, quando as toxinas entram na pele através de uma ferida e se espalham por todo o corpo. Casey acha que sua filha nunca teve mão, pé e boca.

PUBLICIDADE

A mãe disse que não dormia a muitas noites e que estava ansiosa para relaxar depois de alguns dias agitados com a filha doente. Ela e seu marido Ezekiel estavam cuidando das duas meninas do irmão de Casey, as pequenas Heath, Bronte, de seis anos e Dakota de quatro.