Mãe leva filha com doença rara ao hospital e enfermeiras pensam que ela havia queimado a criança com água quente

As enfermeiras pensaram que a mãe era culpada pelo estado da criança.

PUBLICIDADE

Quando a mãe Casey Parkin viu uma pequena marca na testa da filha Huntar, pensou que não passava de uma picada de mosquito.

Mesmo quando os médicos suspeitavam de doenças da mão, febre aftosa que é uma doença comum na infância que causa dor de garganta, erupções cutâneas e úlceras eles informaram que a doença desapareceria em alguns dias.

PUBLICIDADE

Mas dentro de 24 horas a pele de Huntar entrou em erupção e ela se deteriorou rapidamente. Quando uma enfermeira acusou Casey de queimar sua filhinha, ela ficou arrasada, pois pouco tempo depois que a doença surgiu os médicos descobriram que ela tinha uma doença ultra-rara.

Huntar sofria de síndrome da pele escaldada estafilocócica, quando as toxinas entram na pele através de uma ferida e se espalham por todo o corpo. Casey acha que sua filha nunca teve mão, pé e boca.

PUBLICIDADE

A mãe disse que não dormia a muitas noites e que estava ansiosa para relaxar depois de alguns dias agitados com a filha doente. Ela e seu marido Ezekiel estavam cuidando das duas meninas do irmão de Casey, as pequenas Heath, Bronte, de seis anos e Dakota de quatro.

Quando também tiveram Huntar que estava com 13 meses quando ficou doente.

PUBLICIDADE

Dakota tinha doenças da mão, febre aftose e os pais estavam preocupado que Huntar pudesse ter pego a infecção, mas ela parecia bem.

Mais tarde, quando a mãe foi colocar Huntar na cama, notou que ela estava com uma pequena picada de mosquito na testa. Casey não achava que havia algo com que ela devia se preocupar, mas no dia seguinte, a picada parecia uma pasta.

No médico a mãe explicou que sua filha teve contato com a prima que tinha a doença da mão, febre aftosa, ele a diagnosticou e prescreveu um creme antibiótico que não adiantou. Ela entã voltou com a filha ao médico e ele disse novamente que eram apenas a doença mão, pé e boca, mas ela sabia que não era.

Casey já havia trabalhado em cuidados infantis, e la já tinha visto muitos casos disso e o da sua filha não parecia nada com a doença pois de Huntar tinha mais bolhas inflamadas.

Cerca de uma hora depois, Huntar estava coberta de bolhas vermelhas por todos os braços, rosto e pescoço.Parecia que ela tinha sido escaldada por água fervente.

Huntar usava apenas uma fralda e, não querendo piorar as feridas com roupas, sua mãe colocou um cobertor fino sobre ela enquanto a levava ao hospital. No hospital, uma enfermeira deu uma olhada em Huntar e desconfiou que sua mãe a havia queimado.

Até que os médicos descobriram que a criança tinha síndrome da pele escaldada estafilocócica, ela foi tratada e está bem e a mãe pede a outras mães que confiem em seus intintos.

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.