“meu sobrinho não era bandido, ele gostava de brincar correr atrás de papagaio”, desabafa a tia do menino de 11 anos, que foi atropelado e logo após assassinado a tiros, em Betim

O menino foi baleado, em Betim.

PUBLICIDADE

No inicio desta terça-feira (2), o corpo do pequeno Ayslan Mateus Benício, de onze anos, foi sepultado no cemitério localizado no bairro Citrolândia. O menino foi assassinado a tiros, e logo após atropelado por duas vezes, quando estava na rua a brincar no último domingo.

Segundo os policiais, foi possível identificar os principais suspeitos, do crime, no qual não está colocada de lado, a hipótese que o menino foi confundido com outros criminosos.

PUBLICIDADE

Antes de ocorrer o sepultamento, a empregada doméstica, tia do menino, Amanda Alvim Lopes, desabafou sobre o caso a uma emissora de TV. Ela disse, que o sobrinho não era nenhum bandido. Que quer ainda destacar uma coisa para todos.

Que o sobrinho dela, queria andar de bicicleta, correr atrás dos papagaios dele, e brincar com o primo há bola, seja o que for, apenas ele queria viver. Disse ainda, que ele não conhecia marginal, porque a família não se envolvia com assassino.

PUBLICIDADE

Ela acrescentou ainda, que ela e os pais do menino estavam sentados na rua com os amigos, quando de repente escutaram um barulho. Ela recorda, que quando ouviram o barulho parecia foguetes. Que de imediato logo pensaram, que fosse algo normal, mas que viram que os tiros vinham chegando, e a população gritando.

PUBLICIDADE

Que era o Leo. Foi então que, o Leo era o filho de Amanda. Quando se aproximaram, viram que afinal era o sobrinho o Ayslan. Os suspeitos regressaram disparando, e que eles não pararam mais. Disse quando que não sabe quem é porque não viu ninguém. Que o desespero de família ninguém conseguiu ver nada.

Amanda diz ainda que o menino foi atropelado duas vezes, e logo após baleado. Disse ainda que os suspeitos estavam em dois veículos. Ressalta que pegaram o menino do chão, que ele ainda estava vivo, as agonizando no chão. O Samu chegou muito rápido, mas quando chegou a ambulância ele não resistiu.

Renato Alvim, também é tio do menino, e lamenta o ocorrido.

Ele diz que a única coisa que é preciso esperar,é que a justiça de Deus seja feita. Que é a única coisa certa, e a Justiça de deus.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!