Policial Militar alega que disparo que matou esposa aconteceu após ele escorregar em garrafa de água: “PM precisou ser medicado, estava extremamente abalado”

De acordo com o relato do agente à Polícia Civil, o soldado alegou que ele, a esposa e a filha do casal dormiam em um colchão que estava no chão.

PUBLICIDADE

Um policial militar de 34 anos alega que atirou contra a esposa acidentalmente por ter escorregado é uma garrafa de água que estava no chão e desequilibrando acabou fazendo com que a arma disparasse e acertasse em cheio Nicole Aparecida Pauline de 23 anos.

Eles estavam na Praia Grande litoral de São Paulo, Pauline não resistiu aos ferimentos e morreu.

PUBLICIDADE

O caso foi registrado na delegacia como homicídio culposo quando não há intenção de matar, o acidente aconteceu na última sexta-feira (6) por volta das 5 horas na residência do casal.

Segundo as autoridades o policial estava se preparando para sair para o trabalho, o agente relatou que a esposa e a filha dormiam no colchão no chão e ele tinha o costume de dormir com arma debaixo do travesseiro.

PUBLICIDADE

Quando eles acordaram ele foi tomar banho e nesse momento quando foi para pegar a roupa e se abaixou para pegar a arma pisou sobre uma garrafa de água e desequilibrou.

Nesse momento a arma disparou acidentalmente atingindo a jovem, ela se assentou percebeu que estava ferida sabia o que havia acontecido e ele ligou imediatamente para a polícia militar.

PUBLICIDADE

Ela foi levada para o hospital municipal Irmã Dulce mas não resistiu ao ferimento, o soldado faz parte do 45º Batalhão de Polícia Militar do interior, informaram que após o disparo o policial ficou extremamente abalado e precisou ser medicado para depor na delegacia.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.