A força do amor: “casal que faria 71 anos de casados morre com 10 dias de diferença infectados com Covid-19”

De acordo com relatos da família, o casal costumava tomar sol juntos na varanda de casa.

PUBLICIDADE

Aqueles que permitem envelhecer juntos cultivam união, amor, o indivíduo cresce como   pessoa e aprende a aceitar as fraquezas.

Se perguntar para casais como conseguiram viver a vida toda juntos, qual é o segredo eles falarão sobre cumplicidade, cuidado multo e afeição, o amor é um desafio constante mesmo que haja harmonia ou conflito, alegria ou tristeza, isso é secundário diante daquilo que é fundamental, está comprometido com o outro.

PUBLICIDADE

A vida como casal é um caminho longo, cheio de altos e baixos, mas claro não falta satisfação, em Rio Manso pequena cidade do interior de Minas, Antônio Borges dos Santos de 95 anos e  Luiza Francisca Pereira de 89 anos, iriam completar 71 anos de casados no mês de junho, mas por causa dessa pandemia de covid-19, seu Antônio morreu no dia 17 de maio e a dona Luiza faleceu no dia 28, também vítima da doença.

De acordo com relatos da família, o casal costumava tomar sol juntos na varanda de casa da  cidadezinha com pouco mais de 5 mil habitantes na região central de minas.

PUBLICIDADE

A neta Lívia Luiza de Oliveira, contou que quando a avó soube da morte do seu avô, disse que não iria suportar tamanha tristeza, a partir desse dia ela piorou muito.

O casal de idosos, tiveram 13 filhos, dois morreram, tiveram 30 netos, 33 bisnetos e 5 tataranetos, Lívia também contou que o avô estava com falta de ar por muito tempo até que decidiram leva-lo para a UPA de São Joaquim de Bicas, lá no hospital o quadro de saúde dele piorou e faleceu.

PUBLICIDADE

No atestado de óbito, dizia que a morte foi por insuficiência respiratória, mas não falava nada a respeito de coronavírus, tinha realizado o teste mas saiu 3 dias após o sepultamento, com isso a população da pequena cidade ficou eufórica porque correram o risco comparecendo ao velório.

Lívia disse que o casal sempre estava junto, sempre se abraçando e por isso que a avó não suportou a grande perda, 10 dias depois ela também faleceu, foi muito difícil perder os dois quase ao mesmo tempo, declarou a neta.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.