Anvisa libera tratamento com Remdesivir para pacientes com Covid-19

A liberação aconteceu ainda nessa sexta-feira e o medicamento poderá ser usado por adultos e adolescentes

PUBLICIDADE

Nessa sexta-feira (12), a Agência  Nacional da Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que foi registrado o primeiro medicamento dedicado aos pacientes que estão internados devido à Covid-19. Na ocasião citada, o antiviral remdesivir foi anunciado enquanto tal, mas o medicamento ainda está sendo estudado.

De encontro ao que foi destacado, é possível afirmar que o Redemsivir é utilizado de forma intravenosa, ou seja, injetado nas veias do paciente e atualmente não está sendo comercializado em farmácias. Além disso, conforme o veiculado pelo G1, o antiviral atua no sentido de impedir que o vírus se replique.

PUBLICIDADE

Ainda se mostra valido destacar que no território brasileiro tal medicamento somente será usado em adultos e em adolescentes. Entretanto, em ambos os casos, será necessário que as pessoas tenham peso superior a 40kg e estejam internadas com pneumonia. O Redemsivir é usado desde o mês de novembro do ano passado nos Estados Unidos. Entretanto, a Organização  Mundial de Saúde não aconselha a sua administração.

Também é possível informar que, segundo o publicado pelo G1, o remédio em questão não poderá ser usado em casos de pacientes que já estejam fazendo uso de ventilação mecânica. Outro ponto importante e que também deve ser frisado está ligado ao fato de que tomar o Remdesivir não substitui a vacina contra a Covid-19.

PUBLICIDADE

De acordo com a reportagem veiculada pelo G1, o remédio em questão pode ser usado, segundo o registro, em pessoas maiores de 12 anos de idade, segundo as condições descritas anteriormente. Ele vai atuar como uma espécie de suplementação do oxigênio para aqueles que ainda não estiverem em respiradores.

É possível afirmar que um estudo foi utilizado pela Anvisa para justificar a liberação do remédio. Segundo essa pesquisa foi mostrado que os pacientes que fizeram uso desse tipo de terapia conseguiram uma recuperação mais rápida do que aqueles que não fizeram uso do Remdesivir. Em termos de números, os pacientes que receberam esse medicamento apresen taram melhoras em seus quadros clínicos em um período de 10 dias. Os que não receberam, por sua vez, melhoraram somente com 15 dias.

PUBLICIDADE

Sobre o remédio especificamente, é possível afirmar que o medicamento em questão é feito pela empresa biofarmaceutica Gilead Sciences e o nome para a comercialização é Veklury. Ele possui origem sintética e, conforme o informado impede que o vírus se replique no organismo.

De acordo com Gustavo Mendes, o gerente geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, o remédio em questão não é comercializado em farmácias devido ao fato de que ele somente pode ser utilizado sob supervisão de médicos. Portanto, o seu uso está restrito aos hospitais, visto que os pacientes que receberam doses de tal remédio precisarão ser propriamente monitorados. No passado, o Remdesivir já foi usado para o combate de outras doenças, como o ebola e a hepatite C.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.