Após ser preso pela morte de Henry, Jairinho é desligado da Comissão de Justiça e Redação da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro

O vereador Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho, preso pela morte do enteado, o menino Henry Borel, foi desligado da Comissão de Justiça e Redação da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

De acordo com o presidente da Câmara Carlo Caiado, o Vereador Jairo Souza Santos Júnior o Dr. Jairinho que foi preso pela morte de Henry de quatro anos foi desligado da comissão de Justiça e redação da câmara de vereadores do Rio.

A publicação do desligamento aconteceu nesta segunda-feira (19) no Diário Oficial da câmara após o documento que oficializa a expulsão do vereador.

PUBLICIDADE

O chefe da casa decidiu pela expulsão, mas a proposta ainda será analisada pela comissão de Justiça e decidir se esse projeto é constitucional.

No dia 8 de abril a expulsão foi anunciada logo após a prisão de Jairinho e Monique acusados pela morte de Henry.

PUBLICIDADE

Diante de novas revelações e depoimentos de testemunhas eles decidiram expulsar o vereador de forma sumária, o vereador também foi expulso do Conselho de ética da câmara e o salário foi cortado.

A polícia acredita que essa semana todo inquérito contra Jairinho e Monique Medeiros seja concluído.

PUBLICIDADE

O advogada de Monique luta para que ela seja ouvida novamente e um novo depoimento seja coletado porque ela era vítima como o filho, sofria agressões e por isso não se posicionou contra Jairinho por medo.

O delegado examina essa possibilidade mas acredita que todas as provas são contundentes contra o casal, afirmando que Jairinho é o autor do assassinato espancou a criança até a morte e Monique sabia todo tempo do que estava acontecendo e não interviu para proteger o próprio filho.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.