Atriz comenta sobre abandono paterno e estimula mulheres a contarem suas histórias

Ser mãe em carreira “solo” não é fácil…mas o amor supera qualquer coisa!

PUBLICIDADE

A atriz Taty Goulart ficou conhecida bem jovem, atuou como atriz mirim em algumas novelas como “Felicidade” e “quatro por quatro”. Atualmente a Taty tem 36 anos, ela agora se dedica em trabalhar em um estúdio de dublagem de sua família. Taty é super mãe de Catarina, com apenas seis meses de vida.

Em uma reportagem à coluna de Patrícia Kogut, Taty conta um pouco sobre sua vivência como “mãe solo”, o pai de Catarina preferiu não fazer parte da vida nem da filha e nem de Taty.

Taty comenta: “É opção dele não participar, não importa o que eu faça. Só posso respeitar. Com as postagens de Taty no instagram ela influencia várias outras mulheres a contarem seus relatos.

Na mesma entrevista, Taty conta que sofre preconceito quase todos os dias por ser mãe em carreira “solo”, as vezes de forma discreta ou mais direta. Em nosso País o índice de abandono por parte paterna é muito alto. Quase seis milhões de pessoas não tem o sobrenome do pai em sua certidão de nascimento. Segundo pesquisa do IBGE.

Quem sempre sofre esse preconceito em grande parte das vezes é a mulher, e não o homem no qual abandonou seu filho. Muitas vezes as pessoas comentam ironicamente coisas do tipo “você escolheu a pessoa errada”. Em comentários de fotos da rede social da atriz vemos diversos relatos de seguidoras de como seria o dia a dia sendo mãe solo.