Brincadeira da rasteira:specialistas alertam para riscos de brincadeira que já tirou vidas

Com a volta as aulas, muitos vídeos de estudantes brincando de derrubar uns aos outros tomam as redes

PUBLICIDADE

Nesta última terça-feira (11) novamente vídeos onde adolescentes aparecem brincando de empurrar uns aos outros no chão dentro de escolas começaram novamente a tomar as redes sociais. Isso inclusive tem sido motivo de preocupação para pais e mães logo no início do ano letivo.

O site de notícias G1 ouviu especialistas a respeito do caso, e destacaram que as brincadeiras podem acabar causando graves acidentes entre os adolescentes que podem até mesmo acabar em morte.

PUBLICIDADE

Em um destes vídeos que estão sendo publicados nas redes sociais duas adolescentes aparecem dando uma rasteira em uma terceira. Em vários vídeos a respeito do assunto que vem sendo publicado nas redes sociais, eles são chamados “roleta humana” e geralmente envolve três pessoas.

Uma das duas é girada para trás pelos outros colegas. Em novembro do ano passado uma adolescente de 16 anos acabou morrendo em Mossoró, depois de bater a cabeça em meio a brincadeira em questão.

PUBLICIDADE

O vídeo em que as três adolescentes aparecem realizando a brincadeira, foi gravado no Colégio Marista de Natal. A vice-diretora educacional da instituição, Ilce Mara da Silva havia tomado conhecimento do fato a respeito do vídeo somente nesta última terça-feira (11). A diretora afirmou que aconteceu um diálogo onde foi explicado o riscos em uma conversa com a família das envolvidas na brincadeira.

As alunas que aparecem no vídeo em questão, segundo a vice-diretora são ótimas alunas mas que estavam agindo com uma certa impulsividade ao realizar a brincadeira. A diretora ainda justificou dizendo que diante do episódio agora foram adotadas medidas preventivas.

PUBLICIDADE

Jorge Rominelli, que é professor e coordenador de uma escola de Natal declarou que dentro do programa pedagógico também buscam discutir outros temas com os estudantes nas escolas, e revela que estas brincadeiras adotadas por eles podem ser perigosas, e que isso já foi um debate entre eles. O professor ainda alegou que eles buscam sempre observar o que está sendo divulgado na internet e como está acontecendo dentro da escola. Uma orientação que ele garante que é feita com os alunos é a necessidade de que eles sejam gentis uns com os outros e que esse tipo de brincadeira é um tipo de agressão e por isso não é coisa boa.

Sheila Salustino, que é psicóloga atua no Colégio Nossa Senhora das Neves, e alega que o melhor caminho é conversar com os alunos a respeito destas atitudes e orienta-los. Para ela, a escola em que trabalha ao longo do ano tratava muito a respeito do autocuidado e abordou temas diferentes contando com atividades. No entanto, ela alega que as brincadeiras que são mais violentas os alunos recebem orientações com abordagens que mostram mais sobre as consequências e os riscos que este tipo de brincadeira pode trazer para vida deles.

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.