Caso Aline: polícia prende suspeito do crime e detalhes são revelados

Polícia prendeu suspeito de ter matado a jovem Aline Dantas, de 19 anos, na cidade de Alumínio, interior de São Paulo, no dia 8 de setembro.

PUBLICIDADE

A jovem Aline Dantas, de 19 anos, foi morta na cidade de Alumínio, interior de São Paulo, no dia 8 de setembro. Ela saiu de casa para comprar fralda para a filha que tem pouco mais de um ano e não retornou.

Câmeras de segurança mostraram Aline na farmácia onde foi comprar a fralda. Câmeras também registraram ela andando pelas ruas de Alumínio. Nas imagens, era possível ver um homem próximo de Aline.

PUBLICIDADE

O corpo da jovem foi encontrado três dias depois em uma área de mata da cidade. Desde então, a polícia se debruçou sobre o crime para chegar ao suspeito de ter matado Aline.

Em meio às buscas por Aline, o pai e o marido da jovem trocaram farpas. Em entrevista ao vivo no Cidade Alerta, da Record TV, o pai dela afirmou que o marido não ajudava nas buscas. O homem se defendeu e chorou ao vivo na TV.

PUBLICIDADE

Nesta quarta-feira (2), depois de muita apuração por parte da polícia, o homem suspeito de ter matado Aline Dantas foi preso. Eronildo Martins de Vasconcelos tem 45 anos, dois filhos, um de 19 e outro de 10, e atualmente está desempregado. Ele já trabalhou como porteiro e eletricista.

A equipe da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) foi até a casa de Heronildo, em Alumínio, e efetuou a prisão do suspeito. Ele nega que tenha cometido o crime.

PUBLICIDADE

Em 2012, Eronildo foi preso por tentativa de estupro. O crime também ocorreu na cidade de Alumínio. De acordo com os laudos divulgados até o momento, Aline sofreu agressão sexual e tentou se defender.

De acordo com a delegada Luciana Bachir, que cuida do caso, a polícia chegou a ter quatro suspeitos. Três deleas já haviam sido presos por praticarem crimes sexuais.

Os indícios contra Eronildo, porém, foram mais fortes e ele acabou preso. Ainda segundo a delegada, desde o dia 19 de setembro o homem era apontado como principal suspeito. A polícia só não o prendeu antes porque esperava alguns laudos serem finalizados.

A polícia pediu que ele fique preso temporariamente por 30 dias. Ele deve ser indiciado por três crimes: homicídio, ocultação de cadáver, já que tentou colocar fogo no corpo da vítima e o escondeu em uma área de difícil acesso, além de estupro.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista profissional desde 2015. Escrevo sobre política, famosos, curiosidades e tudo que possa render bons textos e boas histórias!