Caso Henry: Monique demonstra desespero na prisão e recusa visita de advogado

Atualmente a mãe de Henry está isolada das demais detentas

PUBLICIDADE

Na última quinta-feira (8), Monique Medeiros foi presa acusada de participar do assassinato de Henry Borel, o seu filho de 4 anos de idade. O responsável pela morte do menino seria o padrasto da criança, Dr. Jairinho.

De acordo com informações veiculadas na web, Monique foi levada para o Instituto Penal Ismael Sireiro, localizado na cidade de Niterói. Ela deve cumprir um isolamento de duas semanas devido aos protocolos da Covid-19 e permanecer distante das demais prisioneiras.

PUBLICIDADE

É possível afirmar que a recepção entre Monique e as demais detentas da instituição não foi das mais amistosas. Segundo a jornalista Juliana  Dal Paiva, do UOL, após a sua entrada no presídio, Monique Medeiros chegou a ouvir alguns gritos insinuando que ela seria morta no local. Nessa ocasião, ela estava sendo encaminhada para a sua cela.

Ainda segundo o relatado pela jornalista, atualmente a mãe de Henry passa os dias na sua cela e chora bastante. Em determinados pontos do dia, ela chega a gritar também. Assim, ela tem feito uso de algumas medicamentos controlados, mas não chegou a pedir atendimento médico.

PUBLICIDADE

Se mostra válido ressaltar, entretanto, que na ocasião da sua prisão Monique apresentou um comportamento completamente diferente do que foi descrito. Em vídeos da ocasião em que ela foi levada pelas autoridades competentes, a mulher demonstrava um comportamento tranquilo frente o fato citado. Além disso, ela chegou a recusar a visita de um advogado.

 

Via: g1.globo.com

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.