Caso Miguel: reviravolta pode fazer patroa pagar caro pela morte da criança

Caso causa revolta no povo brasileiro

PUBLICIDADE

O caso da garoto Miguel de apenas cinco anos tornou-se polêmica em todo país.

O fato aconteceu na cidade de Recife , no estado de Pernambuco, a empregada doméstica deixou seu filho de cinco anos com a patroa, Sarí Corte, para pode passear com o cachorrinho na rua, porém Sarí não teve paciência com a criança, quando ele insistiu em querer ver a mãe.

PUBLICIDADE

Sarí simplesmente permitiu que um garotinho de cinco anos andasse no elevador sozinho e ainda apertou os botões para isso , o menino Miguel caiu do nono andar, uma altura de 35 metros. A mãe do garoto ao retornar com o cachorrinho encontra o filho caído, agonizando.

O menino não resistiu a queda e faleceu. Por esse motivo, a primeira-dama foi presa, mas por ter dinheiro, pagou a fiança de R$ 20 mil e não passou se quer uma presa. Mas pelo que tudo parece isso pode mudar.

PUBLICIDADE

De acordo com o UOL, polícia enviará o caso para o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e talvez a entidade concorde com a tipificação do crime, isso incluirá negligência, a patroa poderá ficar até três anos presa na cadeia.

Porém, o caso ainda pode ter uma reviravolta maior, pois ela poderá responder por homicídio doloso e não culposo, ou seja, quando não há intenção de matar. Sari pode não ter tido intenção de matar a criança, mas permitiu que o menino andasse sozinho no elevador e até chegou a apertar os botões para isso.

PUBLICIDADE

Em fim, o caso será investigado e o esperado pela mãe da criança e toda a população brasileira é que a justiça seja feita, pois se uma criança está sobre os cuidados de alguém, não importa quem, ela tem o dever de zelar pelo bem estar e pela vida dessa criança.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.