PUBLICIDADE

China abre orientação sobre o fim do consumo de carne de cachorro

Esse fato ocorreu devido a pandemia

PUBLICIDADE

Pela primeira vez na história, o governo chinês deu indícios de que deve proibir o consumo de cachorros muito em breve. O ministério da Agricultura da China emitiu um documento ontem que tem relação aos animais que são indicados ao consumo humano no país e fez questão de reforçar uma recomendação para retirar os caninos da lista.

Essa preocupação vem sendo analisada de acordo com o inicio da pandemia pelo novo covid-19 no país, que no presente momento já esta sendo controlada. De acordo com eles, desde o mês de janeiro já havia sido proibida a venda de animais silvestres no território Chines. O qual se tornou o primeiro epicentro da doença pandemica mundial.

O epicentro da doença epidêmica na China ocorreu em Wuhan, e mesmo com o comercio reabrindo, a venda e o abate dos animais vivos estão sendo proibidos nos mercados da cidade. Um país cujo o qual tem gostos peculiares para uma refeição. Um gosto um tanto peculiar que gera milhares de revoltas na web.

Na China, as estimativas indicam que são abatidos cerca de 10 e 20 milhões de mortes de cachorros a cada ano, e essa medida foi redigida como um sinal de grande importância pelo consumo inadequado de animais que ocorrem nas cidades.

PUBLICIDADE

Uma das mais cotadas idéias do abate de consumo de animais silvestres nos mercados chineses, como o de Wuhan, originam as hipóteses para o inicio do surto de infecção do novo coronavírus que são consideradas por muitas pessoas. De acordo com os cientistas, o vírus do covid-19 podem ter sim se originado dos morcegos.

Este documento que cita essa recomendação feita pelo governo para o não consumo de cachorro ainda ficara sob a consulta publica se estendendo ate o dia 8 de maio, e após esse prazo, e caso haja a aprovação, essa recomendação poderá virar lei em todo o território chinês, o qual será uma mudança brusca na vida da população da China.

 

PUBLICIDADE

Via: noticias.uol.com.br