Ciclone bomba deixa rastro de destruição em Santa Catarina e ventos fortes em SP, RJ e RS

Santa Catarina, foi o estado mais afetado, muitas casas foram destelhadas, árvores foram arrancadas e ventos atingiram 120 km por hora.

PUBLICIDADE

No dia 1º de julho, o estado do Rio de Janeiro e São Paulo sofreram fortes rajadas de vento influenciadas pelo ciclone bomba e causou estragos em muitas regiões no sul do país, houve destruição e pelo menos 8 mortes.

Na terça-feira no Rio Grande do Sul e Santa Catarina a ventania derrubou árvores e casas, na madrugada foram registrados ventos em torno de 80 km por hora, reflexo do Ciclone extratropical que segue de Santa Catarina.

PUBLICIDADE

Em São Paulo o mar ficou bem agitado, duas lanchas e 7 barcos afundaram em Peruíbe, o meteorologista César Soares disse, como o estado está sobre o efeito das bordas do ciclone irá enfrentar ventos fortes, nessa quarta-feira está previsto ventos de até 80 km por hora. No Rio há previsão de ventos de 76 km por hora e ressaca com ondas de até 3 m de altura.

A previsões para o Estado de Santa Catarina, é de ventos de até 100 quilômetros por hora até no fim da tarde de quarta-feira. No Rio Grande do Sul na manhã desta quarta-feira, foram registradas em algumas regiões ventos de até 116 km por hora.

PUBLICIDADE

Santa Catarina, foi o estado mais afetado, muitas casas foram destelhadas, árvores foram arrancadas e ventos atingiram 120 km por hora, segundo relatos da Defesa Civil o telhado de uma casa foi arrancado por inteiro em Florianópolis.

PUBLICIDADE

No Rio Grande do Sul, Portos foram interrompidos por causa dos fortes ventos e mais de 700 mil pessoas estão sem energia, no estado do Paraná os ventos chegaram a 100 quilômetros por hora, derrubaram árvores e muitos moradores de Curitiba ficaram sem energia, muitas ruas de Curitiba ficaram interditadas por tamanha destruição.

Em Santa Catarina, uma idosa morreu ao ser atingida por uma árvore, um homem foi atingido pela fiação elétrica de um poste e também faleceu, três pessoas morreram na grande Florianópolis devido ao desabamento de estruturas, um homem de 53 anos morreu soterrado em Nova Prata e nessa quarta-feira pela manhã a Defesa Civil confirmou outra morte em Governador Celso Ramos.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.