Coronavírus: a tristeza profunda das famílias proibidas de enterrar os seus entes na Itália

Perder alguém é muito triste, mas pior ainda é não poder prestar o último adeus.

PUBLICIDADE

Depois que a pandemia do novo coronavírus, está roubando a oportunidade, de todos fazerem a última despedida aos seus entes queridos. A pandemia que deu inicio na China em fins de 2019, está matando muita gente, e agravando a tristeza de quem fica e vê tudo isto.

Uma agente da funerária de Milão, fala sobre a pandemia. “Essa pandemia mata duas vezes”. Ela inicia, começando pro isolar você e quem lhe rodeia, antes de morrer.

Depois, como não bastasse, ainda faz com que ninguém se aproxime para dar o último adeus. Depois de centenas de mortes por todo o mundo, a pandemia do novo coronavírus, tem deixado um rastro de tristeza em todas as famílias, que não aceitam o que está acontecendo ultimamente.

Infelizmente, como não ficasse só por ai, maioria das vitimas do novo coronavírus, estão morrendo mesmo durante o isolamento, sozinhos, sem a visita da família, e amigos. Devido ao alto risco de contágio, foi decretado a proibição das visitas. Maioria das autoridades, afirmam que o vírus, não poderá ser transmitido postumamente, mas ele pode ainda assim nas roupas viver por umas horas.

PUBLICIDADE

Com muita tristeza, e dor para todos os familiares, os corpos já falecidos, estão sendo selados de imediato. Quando a pessoa morre, os familiares por norma, sempre costumam ver o corpo antes do último adeus, mas nestes casos de Corvid-19, é extremamente proibido devido que pode surgir contágio. Mesmo já com a pessoa sem vida, o vírus continua vivendo por mais um tempo.