Corpo de idosa de 91 anos vítima de Covid-19, é entregue a família errada e causa revolta em BH: “Estamos sem chao”, diz neto

O caso ocorreu na Região Nordeste de Belo Horizonte.

PUBLICIDADE

A idosa faleceu na madrugada deste último domingo (10), aos 91 anos vítima do novo coronavírus. Os parentes da idosa, sentem-se revoltados  e dor, após saberem da noticia do ocorrido O caso ocorreu nesta segunda (11), e pior que o corpo da idosa foi entregue a outra família.

A idosa permanecia internada na unidade hospitalar de São Francisco de Assis, localizado no bairro Concórdia, desde sábado (9). O hospital é filantrópico e presta serviço pelo SUS.

PUBLICIDADE

Um neto de Leonora, Jaílson Rocha dos Santos, relata que a avó tinha sido internada na ala de Covid da unidade hospitalar, mas ninguém dava qualquer informação necessária para a família. Só souberam da morte dela, passado muitas horas.

E daí deram inicio aos erros, por falta de informação do hospital até à funerária, que tinha avisado, que o corpo de Leonora não tinha sido localizado. O neto ressalta ainda,que todos ficaram sem chão.

PUBLICIDADE

O neto conta ainda, que a unidade hospitalar não permitiu que nenhum membro da família fosse reconhecer o corpo da avó. Ainda segundo ele, os trâmites para realizar o funeral, foram realizados na funerária, e tudo foi reencaminhado para o cemitério da Saudade, na Região Leste de BH.

Jaílson contra ainda, que a família estava aguardando o corpo para fazer o velório desde as 13h. E após se passarem horas, o corpo não havia chegado. Foi quando telefonaram para a funerária, e lhe comunicaram o ocorrido, que tinha havido um erro e que o corpo da avó foi entregue para outra família. Ficaram transtornados.

PUBLICIDADE

O susto

O corpo da idosa, foi reencaminhado para os familiares de Flaviano Rodrigues Reis. O pai dele, tinha morrido no mesmo dia que Leonora. Segundo Flaviano, eles ambos estavam internados na mesma ala da unidade hospitalar.

O vendedor fala da situação, no qual diz que é um tremendo absurdo, e que não era possível entender a troca, pois o caixão estava fechado. Quando falaram que da troca, todos tomaram um susto.

Flaviano, questionou sobre a situação. Ele disse que achou estranho deixarem ver o corpo, para fazer o reconhecimento. Porque ao domingo não era permitido, e naquele já era. Teria evitado uma grande confusão. Porque o o São Francisco mudou agora?, pergunta ele.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!