Cortejo de ambulâncias homenageia médico do SAMU que morreu por complicações da covid-19: “Ele dava tudo para salvar um paciente”

A coordenadora falou que fica uma sensação de vazio e tristeza, mas sabe que ele gostaria que todos continuassem esse trabalho.

PUBLICIDADE

O médico Francisco Honorato de 43 anos, trabalhava no SAMU e em dois hospitais, ele foi o primeiro médico a chegar na tragédia da creche Gente Inocente de Janaúba onde morreram 10 crianças e 3 professoras.

O médico morreu vítima da covid-19 e foi homenageado pelos colegas do SAMU na última sexta-feira, eles realizaram um cortejo de ambulâncias, nos veículos haviam fita preta em sinal de luto e seguiram até o cemitério.

PUBLICIDADE

Francisco conhecido como Chicão, deu entrada na Santa Casa no dia 3 de agosto com sintomas da covid-19, no dia 6 o quadro de saúde se agravou muito e foi transferido para o CTI e foi entubado, o médico tinha diabetes e morreu na última quinta-feira dia 13.

Geane Cristie coordenadora de enfermagem do SAMU, disse que o médico fazia de tudo para salvar uma vida, ele amava o que fazia, já trabalhava há seis anos nessa profissão.

PUBLICIDADE

A coordenadora falou que fica uma sensação de vazio e tristeza, mas sabe que ele gostaria que todos continuassem esse trabalho.

PUBLICIDADE

Segundo o presidente do Sindicato dos Médicos, Francisco foi o primeiro funcionario do Corpo de Bombeiros a morrer por complicações da covid-19 na região.

Carlos Eduardo Queiroz, um amigo do médico que atuava no hospital de Montes Claros, disse que Francisco era um homem voltado para o próximo e amava a medicina, estava na frente da batalha contra o vírus e todos lamentam muito pela sua morte.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.