Enquanto dormia na varanda de uma casa homem é atacado por sucuri de 3 m no Espírito Santo

O homem dormia na varanda da casa quando foi atacado.

PUBLICIDADE

Um homem viveu momentos como os de um verdadeiro pesadelo enquanto dormia tranquilamente na varanda de uma casa na beira de um rio. A história lembra as velhas lendas antigas onde sucuris imensas invadiam os quartos durante a noite para comer os bebês.

Na verdade a história não passa de uma lenda envolvendo as cobras que são consideradas as maiores do mundo, as sucuris e as anacondas que são totalmente inofensivas e só atacam quando são ameaçadas.

PUBLICIDADE

O jovem Everson Menezes foi uma vítima de uma dessas cobras, mas não da maneira descrita pelas lendas. Everson estava em um sítio onde trabalha como caseiro e havia bebido e adormecido na varanda da casa.

O jovem trabalha como caseiro da casa que fica às margens do Rio Doce na cidade de Marilândia no Espírito Santo. Pouco tempo depois de ter adormecido na varanda da casa Emerson foi atacado por uma sucuri de mais de 3 m.Os amigos do jovem que moravam perto da casa escutaram os gritos e conseguiram chegar a tempo de socorrer o rapaz que teve várias fraturas e mordidas por seu corpo.

PUBLICIDADE

O menino Matheus Pereira Araújo de oito anos também viveu uma situação como a de Everson, ele foi atacado por uma sucuri de mais de 5 m, o caso aconteceu em uma propriedade rural em Cosmorama que fica a 500 km de São Paulo.

A Sucuri se enrolou em volta do corpo do menino que só foi salvo graças ao seu avô que estava perto do local. O avô do menino disse que nunca havia visto alguém que teria sido atacado por uma sucuri da forma que o menino foi.

PUBLICIDADE

Ele trabalha 35 anos no Butantã e só soube de três casos de pessoas que foram mordidas por sucuri ou por anacondas, a cobra não é peçonhenta.

O avô do menino contou que a cobra que se enrolou em seu neto tinha 5 m, mas que as cobras dessa espécie podem chegar até 9 m e que os ataques acontecem quando elas se sentem ameaçadas ou quando alguém invade o território delas, ela não é uma cobra que tenha extinto de matar, atacou apenas porque se sentiu ameaçada por ter seu espaço invadido.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Pedro Henrique

Amo escrever sobre todo o tipo de assunto, notícias e atualidades são minha paixão. Contato: [email protected]