PUBLICIDADE

Enterro de funcionária do MEC morta por serial killer é marcado por forte emoção

Letícia foi assassinada por Marinésio. A polícia suspeita que ele seja um serial killer e tenha cometido outros assassinatos no Distrito Federal. O enterro da jovem foi marcada por forte emoção.

PUBLICIDADE

O enterro da jovem Letícia Sousa Curado de Melo, de 26 anos, foi marcado por forte emoção e contou com a presença de mais de mil pessoas no Cemitério de Planaltina, no Distrito Federal, nesta terça-feira (27).

Letícia foi morta na sexta-feira, após entrar no carro do cozinheiro Marinésio dos Santos Olinto, de 41 anos. Na região onde morava, o transporte clandestino é comum, por isso a jovem não êxitou em entrar no veículo.

Marinésio teria cobrado R$ 5 para levar Letícia do ponto onde ela esperava ônibus até a Esplanada dos Ministérios. A jovem trabalhava como funcionária terceirizada no Ministério da Educação.

O corpo foi encontrado na segunda-feira, depois que a Polícia Civil chegou até Marinésio ao analisar as imagens de câmera de segurança de um local próximo ao ponto de ônibus onde Letícia estava.

PUBLICIDADE

No enterro e velório, nesta terça, e emoção falou mais alto. A mãe de Letícia, que não quis ter o seu nome divulgado, escreveu uma carta que foi lida por uma tia da jovem morta.