Evento no Grajaú batizado como “Festa da covid”, termina com uma médica sendo agredida no meio da rua

Suspeitos de agressão participavam de ‘Festa da Covid’. Polícia Civil já identificou todos os envolvidos na confusão — um deles é policial militar.

PUBLICIDADE

No Grajaú Zona Norte do Rio, uma médica foi agredida após interromper uma festa que ficou conhecida como “festa da covid”, tinha até um copo personalizado com os Pallbearers, os portadores de caixões que se tornaram febre nas redes sociais.

A confusão foi no sábado dia 30, a médica foi agredida no meio da rua, ela disse que pretende mudar do local pois teme pela vida do filho que é pequeno, disse que está com muito medo, o   delegado garantiu que nada iria acontecer nem ou com seu filho.

PUBLICIDADE

Eu mexi com gente poderosa e estou com medo, eu vou procurar um lugar seguro para estar morando disse Ticyana.

O Decreto Estadual diz que não se pode realizar festas nem aglomerações durante a pandemia é expressamente proibido.

PUBLICIDADE

A médica de 35 anos, contou porque decidiu danificar o carro de uma das pessoas que estavam na festa, disse que queria acabar com a festa, afirmou que naquele dia queria dar um basta em tudo, de forma errada pois quebrar carro não é correto, mas ela disse que perdeu a cabeça, quando eles vieram achou que eles iam conversar, mas vieram para agredir.

Nas fotos é possível ver um homem carregando Ticyana sobre os ombros e duas mulheres seguem agredindo e puxando os cabelos, na imagem também é possível ver pessoas tentando separar a briga.

PUBLICIDADE

No dia primeiro de junho, Ticyana Procurou a 20ª DP de Vila Isabel, para prestar uma queixa de agressão, compareceu a delegacia com a mão engessada, a outra imobilizada e as pernas.

Ela falou que essa festa está acontecendo sempre durante a pandemia e ninguém consegue mais dormir por causa do barulho, a médica disse que trabalha em três hospitais, está no combate a Covid, nesse sábado da confusão trabalhou 24 horas seguidas e só tinha aquele tempo para descansar.

De acordo com a polícia, o suspeito foi identificado é um PM Luiz Eduardo Salgueiro, suspeito de agredir a médica e teve o vidro do carro quebrado, segundo o delegado Roberto Ramos, de acordo com as lesões no corpo da médica se caracteriza como tentativa de homicídio.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Marcos Antonio Martins

Marcos Martins, é mineiro da gema, nasceu no dia 30 de abril 1975, tem dois filhos lindos que não sabe se parece com ele ou com sua esposa, é cheio de defeitos, mas as qualidades são perceptíveis.