Fake News: Prefeitura de BH rebate sobre caixões enterrados com pedra

Mulher que aparece no vídeo é procurada pela polícia, cuja qual debochou que a cidade está “infestada” de contágios do coronavírus.

PUBLICIDADE

Fake News: Prefeitura de BH rebate sobre caixões enterrados com pedra

Mulher que aparece no vídeo é procurada pela polícia, cuja qual debochou que a cidade está “infestada” de contágios do coronavírus.

 

Nesta sexta-feira (1), a prefeitura da cidade de Belo Horizonte respondeu a um vídeo circulando na Internet que mostrava que pedras foram encontradas no caixão das vítimas do coronavírus, onde supostamente seriam exumadas. Segundo o governo da cidade, a nenhum caixão foi desenterrado, portanto as informações são falsas. A polícia procura a mulher que apareceu na gravação e investigará o caso.

PUBLICIDADE

Essas imagens foram filmadas em uma loja de roupas e se tornaram populares nas mídias sociais. A senhora começou a gravar mencionando uma pessoa chamada “Fernandes” e disse que contaria “as últimas notícias”. Posteriormente, a dona do vídeo informou que a capital de Minas Gerais estaria “infestada” por casos de coronavírus e as próprias famílias estão enterrando os corpos.

“Eles mandaram ir lá e tirar todos os caixões para testes para ver se é um coronavírus.” Você sabe o que há no caixão? Pedra e madeira. Vários caixões cheios de pedras e madeira. Palhaçada, né?”Concluiu o vídeo.

Ao confirmar que o relatório era falso, o parque municipal e a Fundação Zoobotânica, encarregada do cemitério de BH, enfatizaram que todos os funerais da cidade “são realizados por profissionais específicos (coveiros)”.

PUBLICIDADE

A agência também apontou que os cadáveres foram enterrados somente depois que uma certidão de óbito foi emitida pelo registro e documentos comprovando a conexão entre o falecido e a pessoa responsável pelo processo de enterro.