‘Fiquem em casa, isso não é uma gripezinha’, um jovem de 27 anos fez essa publicaçao nas redes sociais antes de morrer por coronavírus

Eu preferia ficar na miséria do que ter perdido meu filho. Dinheiro, coisas materiais, a gente conquista. Meu filho não volta mais.” Diz a Mãe

PUBLICIDADE

 

Foi  no mesmo dia que o País ficou em alerta com a crise política em Brasília,  entre o ministro da Saúde, Mandetta e o presidente, nesse momento um jovem  morador de Osasco  São Paulo, esperava um leito para internar  em um hospital público,  após ele ser diagnosticado com o Covid-19.

PUBLICIDADE

 

Diogo Azeredo Polo Boz, com 27 anos, sem padecer   nenhuma doença crônica, a cinco dias buscava uma unidade de Saúde, nos primeiros dias como tinha só tosse e febre, foi medicado e mandado de volta para casa.

Mais um dia depois começou sentir falta de ar e voltou ao hospital e ficou internado. E justo na manha que ficou internado, ele postou na sua conta de rede social um relato muito desesperado. “ Isso é horrível, essa tosse não para, não posso respirar, e tenho muitas dores, qualquer coisa que você faz, já fica bem cansado, tenha cuidado, por favor fiquem em casa, isso não é uma gripezinha” isso é muito real e estar bem perto de todos.”

PUBLICIDADE

 

Essa foi sua ultima mensagem de Diogo nas redes sociais, também foi o ultimo dia que a Dona Eromar viu seu filho vivo. No hospital onde ele ficou internado, já não aceitava visitas e nem celular, mais a Mae visitava o hospital todos os dias para ter noticias do filho.

Diogo seguia em tratamento, estava consciente , usando mascara de oxigênio, e não precisava de respirador. Mais no dia próximo  o medico informou a mãe de Diogo, que teria que entubar  o filho, porque assim sofreria menos, mais a mãe nunca pensou que seu filho jamais sairia do hospital vivo.

PUBLICIDADE

E na manha seguinte Dona Eromar recebeu uma triste ligação do hospital, dizendo que Diogo teve uma parada cardiorrespiratória e que não aguentou e veio a óbito. Dona Eromar diz que enquanto o presidente saia nas ruas para visitar comércios e criticar isolamento, ela chorava pela perdida do seu filho.

Dona Eromar não pode dar um velório digno ao seu filho, e ela dia diz que não entende as pessoas que critica e fala do isolamento, e ainda diz, ninguém saber ate passar por onde estou passando, só quem sabe, quem perde. Diz a Dona Eromar

E ainda deixa meu claro. “Prefiro  ter ficado  na miséria, que ter perdido um  filho.  O dinheiro e as coisas materiais, elas podemos  conquistar outra vez .Um  filho nunca mais volta”. Diz a Mãe do Falecido.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redatora S Silva

Sou colunista de noticias, de famosos, tv, receitas, politicas e testemunhos e mensagens, reflexoes. Buscamos sempre o melhor, para que as notcias chega a tempo para todos.