Governo estuda ampliar o auxílio emergencial e pagar a 4ª, 5ª, e 6ª parcela

Pelo cronograma atual, são previstas três parcelas do auxílio emergencial. Agora, o governo estuda ampliar o benefício, desde que o pagamento por mês seja menor

PUBLICIDADE

O Governo com os programas sociais diante da pandemia de COVID-19, está estudando uma opção de acrescentar mais uma parcela do auxílio emergencial de 600 reais, mas com o valor dividido em três parcelas, isto é, três meses pagando 200 reais as pessoas que estão passando por tempos difíceis em meio a esta pandemia.

O cronograma atual do governo, são 3 parcelas do auxílio emergencial no valor de 600 reais, o governo pretende ampliar o auxílio mas com benefícios menores.

PUBLICIDADE

Este programa social do governo é para transição, para que possa ser reformulado os cronogramas sociais e encontrar recursos para bancar os gastos permanentes.

O congresso irá realizar uma negociação para não estourar o teto de gastos, será cortada despesas acima da inflação e a partir de 2021 não haverá mais orçamento de guerra, o propósito do governo é unificar os programas sociais, quer dizer, fortalecer o bolsa família, era um estudo que já estava em curso antes da pandemia, mas agora se torna urgente.

PUBLICIDADE

Também a proposta de extensão do auxílio emergencial, que ficará em torno de 40 milhões    dividido em três meses, de acordo com o Ministro da Economia, o benefício terá um impacto de 124 milhões nos cofres públicos, o governo afirma que a extensão do auxílio é necessária devido ao período de isolamento, mas não há recursos para prolongar o auxílio emergencial no valor de 600 reais, por isso irá se esforçar para fazer pagamentos menores.

O presidente da Câmara Rodrigo Maia, disse que o auxílio emergencial é fundamental, o presidente Jair Bolsonaro, disse ao jornalista Magno Martins, que o auxílio emergencial já contemplou 51 milhões de brasileiros, está acima do previsto.

PUBLICIDADE

São previstas três parcelas do auxílio emergencial, mas o governo estuda uma maneira de ampliar o benefício, mas desde que seja parcela menor, Porque se o dinheiro só rodar virá a terrível inflação.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Marcos Antonio Martins

Marcos Martins, é mineiro da gema, nasceu no dia 30 de abril 1975, tem dois filhos lindos que não sabe se parece com ele ou com sua esposa, é cheio de defeitos, mas as qualidades são perceptíveis.