Jovem de 29 anos vive um pesadelo após, perder 5 familiares, na decorrência da Covid-19: “Eu me vejo sozinha”

Assistente social perdeu cinco dos seus familiares durante a pandemia.

PUBLICIDADE

Moradora em Duque de Caxias, Thamires da Silva de 29 anos, assistente social, relara a dor de enterrar cinco familiares durante a pandemia. “Eu me vejo sozinha”, são as palavras amargas e duras do relato em primeira pessoa por Thamires. Apenas com 29 anos, ela teve que passar pela dor amarga causada pelo novo coronavírus, quando teve que sepultar três tios, a mãe e no último fim de semana, a irmã.

Além dos tios que morreram na decorrência do novo coronavírus, a mãe Rosalita da Silva Neto, também não resistiu não devido à pandemia mas outros problemas. Para doer mais ainda, ela precisou de sepultar Tatiane Silva de 34 anos. Durante uma entrevista ao G1, ela conta que a sua sensação nesse momento, é que está a viver um pesadelo, que não terminou. Em inicio da conversa, ela inicia dizendo que está se vendo sozinha.

PUBLICIDADE

Mesmo contando com o apoio de muita gente, ela sente que perdeu a sua base. Que vai ser muito difícil ficar sem a mãe e irmã, sem as poder ver e conversar. Ela conta ainda,que tinham um grupo no WhatsApp, de todas, mas acabou por ficar só ela.

Continuando o seu desabado, ela conta que é uma coisa horrível o que ela tem passado. Que está parecendo um pesadelo que ainda não terminou. A assistente social diz que o baque foi grande quando perdeu a mãe e irmã. Se encontra desbastada.

PUBLICIDADE

Continuando ela conta que as três eram muito unidas, e sempre foram as três para tudo, onde a sua irmã mais velha também era como fosse a segunda mãe. Entre ambas, compartilhavam tudo da vida. Agora Thamires conta que não sabe o que vai acontecer daqui para a frente.

PUBLICIDADE

O sofrimento teve inicio em abrir desse ano, após ter perdido a avó e matriarca Derly de 90 anos. Além da causa da morte ser insuficiência respiratória, o teste realizado deu negativo para o vírus. Tudo ocorreu logo quando a pandemia aconteceu. A avó paterna tinha apresentado os sintomas da doença, mas após ser realizado o exame foi descartado a existência do vírus.  Disseram que não era necessário levar para a unidade de socorro e no outro dia morreu. Thamires, ainda tem a certeza que baseado nos sintomas, a avó teria morrido do novo coronavírus.

Após uns meses, os trios de Thamires de 62 e 66 anos testaram positivo. Rosângela Maria da Silva e Milton Bastos foram levados para a unidade hospitalar. Ela conta que a tia deu inicio aos sintomas que indicavam a doença.  Após ter realizado o exame rápido, deu negativo. Realizou uma tomografia, no qual já tinha metade do pulmão comprometido e foi levada para o hospital. Entretanto, o marido também teve sintomas da doença. Acabando por ambos ficarem juntos no mesmo quarto.

Thamires relata que depois de tudo isso a tia não resistiu, vindo a falecer. E o tio sempre perguntava por ela, mas sem noticias dela começou a piorar. E dez dias depois também morreu. Quando a mãe soube da morte da irma, ela ficou muito abalada, a família desconfia que ela se tenha infetado enquanto decorria o velório

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!