Justiça concede liberdade ao pai que flagrou homem abusando de sua filha de 7 anos e o matou

A justiça entendeu que o homem matou o outro para defender a filha.

A Defensoria Pública com apoio da comarca do Município de Barreirinha que fica a mais de 300 km de Manaus, concedeu a liberdade provisória ao pai de uma criança de 7 anos que matou um homem que teria abusado da sua filha.

O crime aconteceu após o pai da criança, o indígena que não tinha passagem pela polícia ver a filha sendo abusada pelo homem, ele o atacou e matou.

A Defensoria Pública pediu a sua liberdade provisória, o defensor Gustavo Cardoso argumentou que o assassinato aconteceu porque o pai viu o incidente e após ter ocorrido o crime e ele permaneceu em casa, não tentou fugir.

Segundo o defensor, em nenhum momento mesmo estando em estado de choque ele saiu da residência, ele permaneceu até que a polícia chegasse a casa, o defensor Gustavo Cardoso afirmou que esse incidente pode ser considerado como excludente de culpabilidade, devido à situação que levou a ação do homem.

Em outras palavras o defensor está afirmando que além do indígena ser primário e por tudo que ele passou vendo a filha sendo abusada, conceder a liberdade provisória é uma decisão humanitária.

A juíza Larissa Padilha, determinou que o indígena compareça à Justiça sempre que for solicitado, é proibido mudar de residência sem uma aviso prévio e durante à noite depois das 10 horas ele deve permanecer dentro de casa.

A Defensoria Pública também pediu o apoio da Fundação Nacional de índios, do conselho tutelar e da Secretaria de Assistência Social de Barreirinha, para acompanhar essa família, a defensoria do Estado do Amazonas, estará acompanhando o pai dessa criança durante todo o processo judicial por que entendem que agiu repentinamente para socorrer a filha, o que estava em jogo era a própria vida da criança.

 


Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.