Luto em família: Mãe e filha, ambas profissionais de enfermagem no RJ, morrem apenas com uma semana de diferença com Covid-19

Ambas trabalhavam no Hospital Carlos Chagas.

PUBLICIDADE

Nesta quarta-feira (14),Deílida Cardoso Ferreira de 33 anos, faleceu uma semana depois da morte da mãe Kátia Almeida Cardoso, de 49 anos. Ambas perderam a luta para o novo coronavírus,também eram as duas profissionais de saúde e as suas também pertenciam a um grupo de risco, por terem problemas do coração.

A filha, ficou hospitalizada por mais de 20 dias, mas infelizmente acabou por não resistir. Diélia, era enfermeira e trabalhava todos os dias na tao chamada “linha da frente”, na luta contra a pandemia do novo coronavírus.

PUBLICIDADE

“A jovem era muito dedicada ao que fazia, e exercia na sua profissão, querida por todos os colegas de trabalho que a rodeavam, e também pela família, e nós acabamos por a perder.Já a mãe, também estava na “linha da frente”, era técnica de enfermagem, e ficou hospitalizada por três dias, e também não resistiu, uma pessoa fantástica”, lamenta Iolanda Marques uma amiga da família.

A mãe de Deílida, Kátia já tinha sido vítima de um infarto. Além disso, mesmo tendo risco por pertencer a um grupo de risco, contra a doença, não foram afastadas dos postos de trabalho, continuando a exercer a profissão.

PUBLICIDADE

As últimas postagens da jovem, nas redes sociais, ela oferecia ajuda para pessoas que estivessem com duvidas sobre a doença, e também fazia um pedido para que todos continuassem em casa, uma vez que ela já não podia o fazer.

O mesmo sindicato de enfermeiros, confirmou que conseguiu obter uma autorização do Tribunal Regional do Trabalho, onde permite que todos os profissionais de saúde que fazem parte do grupo de risco sejam afastados, para evitar futuras vítimas.

PUBLICIDADE

“Elas são guerreiras e ao mesmo tempo exemplos clássicos, de que não existe idade para todos que representam e sim a comorbidade. Por isso nesse caso, se for diabético, hipertenso, ou se tem bronquite, ou está grávida ou se está em fase de amamentação, essas pessoas serão de imediato afastadas.

Por todas essas pessoas fazerem parte de um grupo mais vulnerável ao vírus”, disse Líbia Bellusci, representante do sindicato dos enfermeiros.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!