Médica grávida morre com coronavírus

A profissional de saúde teve sua licença de maternidade negada

PUBLICIDADE

frente cuidando de pacientes com covid-19 estão sendo infectados e muitos já perderam a vida. São profissionais que arriscam a própria vida para tentar salvar a vida de outros.

Em um hospital, Ras EL Qued, que fica no leste da Argelia, uma médica grávida de oito meses foi infectada com a doença e acabou falecendo, um fato que causou indignação a todos e também ao ministro da saúde, Abderrahmane Benbouzi.

PUBLICIDADE

Por conseguinte, já havia um decreto presidencial que deixava claro que as mulheres grávidas e os que estavam criando filhos pequenos tinham direito a uma licença excepcional, o que confundiu o ministro da saúde, pois não entendeu o porquê de uma médica grávida ainda está atuando, sendo obrigada a continuar na linha de frente.

Segundo colegas de trabalho da vítima, ela chegou a pedir uma licença de maternidade precoce, mas foi negada pelo chefe do hospital.

PUBLICIDADE

A médica, Boudissa, tinha 28 e morreu na última sexta-feira. Colegas de trabalho da médica assinaram uma petição em solidariedade e o ministro da saúde ordenou uma investigação sobre a morte da jovem profissional e qualquer pessoa que esteja envolvida na morte da médica poderá ser julgada por homicídio culposo.

Benbouzi foi visto fazendo visitas à família da médica e também ao hospital para prestar seus pêsames.

PUBLICIDADE

Por fim, a morte da médica será investigada pelo inspetor geral do Ministério da Saúde e denúncias de colegas de trabalho da médica relatam o que estava por trás de sua morte. Segundo dados oficiais, a Argélia já registra 7.019 casos de pessoas infectadas com covid-19 e um total de 548 óbitos por conta da doença.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.