Médico Cristão faz análise sobre a pandemia do Covid-19 durante a Páscoa e diz que isso “Não é coincidência”

O cirurgião geral e anestesista Jerome Adams falou sobre a fé e como as comunidades podem a exercer para superar a epidemia.

PUBLICIDADE

O Doutor Jerome Adams, falou a respeito de sua fé e como ela tem o ajudado durante esta semana que houve um aumento de pessoas contaminadas pelo novo coronavÍrus. Ele que é cirurgião geral nos EUA, falou que a última semana foi considerada a mais mortal no país até o momento presente.

O Dr. Jerome também é vice-almirante do Corpo de Comissários do Serviço de Saúde Pública dos EUA, e vem lutando com todas as forças trabalhando duro contra o coronavírus, buscando controlar a manifestação de novos avanços da doença e ao mesmo tempo se preparando caso aconteça um segundo surto no país.

PUBLICIDADE

Durante uma entrevista o médico foi questionado pela CBN, se os Estados Unidos já estavam preparados e se já desenvolveram algum plano caso aconteça uma nova onda do vírus no país, já que a própria China fez uma alerta para um suposto ressurgimento do vírus.

O Doutor respondeu que sim, o risco de acontecer um novo aparecimento do vírus no país é real, e isso tem sido uma das coisas que estão paralela a possibilidades, não dá pra fingir que não está acontecendo nada.

PUBLICIDADE

Já preparados para um segundo surto os médicos dos Estados Unidos fazem questão de frisar a importância de estarem fazendo alguns testes agora. O país já está realizando alguns testes de anticorpos, com o pensamento de olhar para trás e se perguntar, esse aqui já teve essa doença em algum momento da vida.

Adams disse, que esse tipo de teste é muito importante porque ele permite colocar os profissionais de saúde na linha de frente com a doença, e deixar as pessoas em uma posição em que possam se sentir mais seguras.

PUBLICIDADE

O cirurgião afirmou que existe uma chance de 99%, de pessoas que já estiveram a doença, de estar imune e não a adquirir novamente, caso aconteça outro surto no país. Para Adams que é um cristão, a epidemia não é uma coincidência.

Deus enviou seu único filho para morrer por cada um de nós naquela cruz, para nos dar a salvação. E o avanço da doença se deu bem nesta data comemorativa, o médico sugeriu que que todos orassem um pelo outro. Tempo difíceis devem chegar sobre a terra, e precisamos estar cada vez mais unidos no amor.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redatora Cs

Escrevo vários tipos de conteúdo, mas gosto muito de escrever notícias sobre famosos, histórias de superação e testemunhos.