Médico nova iorquino morre de COVID-19

James Mahoney adiou a aposentadoria para cuidar de vítimas do novo coronavírus

PUBLICIDADE

Assim que começou a pandemia causada pelo novo coronavírus , o médico James Mahoney, 62 anos, que estava prestes a se aposentar, resolveu esperar mais um pouco. Ele estava trabalhando em um hospital no bairro do Brooklyn, atuando na linha de frente nos atendimentos contra o coronavírus.

Os sintomas começaram a se manifestar em meados de abril e no dia 20 do mesmo mês ele apresentou dificuldades para respirar e teve de ser internado, morrendo uma semana depois.

PUBLICIDADE

Mahoney atuou na medicina por 40 anos, lutou contra a Aids em 1980, sempre na linha de frente, ajudou nos atendimentos do atentado de 11 de setembro, quando as Torres Gêmeas foram atingidas em 2001 e também atendeu vítimas do tornado Sandy em Nova York.

Mesmo com os pedidos dos amigos e familiares para que ele não se envolvesse não adiantou, ele não atendeu, ficou atuante até o fim.

PUBLICIDADE

Infelizmente essa pandemia está deixando um legado de tristeza, pois as perdas de pessoas especiais são gigantescas.

O médico de 62 anos sempre esteve ligado a Universidade Estadual de Nova Yorque e começou no Hospital Universitário desde 1982, de onde nunca de desligou.

PUBLICIDADE

O médico Latif Salam, em entrevista ao New York Times, afirmou que sempre quis ser como Mahoney, que sempre olhou para ele com os olhos brilhando de orgulho, ainda segundo ele, todos os jovens residentes, iniciantes em medicina se espelham em Mahoney, o veem como um grande herói.

De acordo com os números da Pandemia causada pela COVID-19, feitos pelo monitoramento da Universidade Johns Hopkins, Nova York é a região que possui as taxas mais altas da doença, o estado já passou das 28 mil mortes causadas pelo novo coronavírus.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.