Menino de 11 anos confessa ter matado garota de 9 anos com autismo na Zona Norte de São Paulo

O adolescente de 12 anos morava na mesma rua que a menina.

PUBLICIDADE

Um menino de apenas 12 anos confessou ter sido o autor de um crime bárbaro contra uma menina que possui autismo. Raíssa Eloá Caparelli Dadona de apenas 9 anos foi morta de forma cruel pelo adolescente. A polícia Civil informou que o garoto confessou o crime na madrugada dessa terça-feira primeiro, mas não confessou o que teria motivado o crime.

O crime bárbaro aconteceu no último domingo (29) e o corpo da criança de 9 anos foi encontrado no parque Anhanguera que fica na zona norte da capital paulista.

PUBLICIDADE

A menina participava de uma festa em um centro de educação Unificado (CEU) quando desapareceu do local, seu corpo foi encontrado sem vida próximo ao local onde acontecia a festa.

Através das imagens de câmeras de segurança vizinhas foi possível identificar o momento que a menina passa juntamente com o adolescente que confessou o crime minutos antes de sua morte, nas imagens registradas pelas câmeras de segurança, Raíssa passa de mãos dadas com o adolescente de 12 anos.

PUBLICIDADE

De acordo com informações da polícia o adolescente mudou de versões versão 3 vezes, mas acabou confessando o crime depois que esteve na DHPP acompanhado por seus pais, os policiais que ouviram o depoimento do adolescente o caracterizaram como frio pois respondia às perguntas apenas com sim ou não e não demonstrou qualquer tipo de sentimento ou arrependimento.

A polícia informou que a justiça determinou a apreensão do adolescente e ele deverá ser encaminhado para uma das unidades da Fundação Casa, o adolescente era vizinho da menina Raíssa e de acordo com informações dos vizinhos nos últimos dias os dois estavam bem próximos.

PUBLICIDADE

Os vizinhos ainda informaram que por causa dessa proximidade entre o adolescente e a criança a mãe de Raíssa chegou a levar o menino juntamente com a filha em um culto evangélico. A polícia está investigando se a causa da morte de Raíssa foi por asfixia e também se houve algum tipo de abuso sexual contra Raíssa, a garota foi encontrada suspensa pelo pescoço e amarrada a uma árvore.

A crueldade do caso chamou a atenção da mídia, da polícia e de todos os que acompanham o caso.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.