Mulher de 34 anos que teve parto induzido aos 6 meses com Covid-19, não resiste após 18 dias de luta na UTI do AC”Morreu sem saber que o bebê teria falecido”

A jovem teve complicações e veio a falecer, nem soube que o bebê não teria resistido.

PUBLICIDADE

A jovem contraiu a doença do novo coronavírus, e teve que ter o parto antecipado. Depois de dar há luz aos seis meses, umas horas depois o bebê não resistiu. A mãe, Patydan Castro, de 34 anos, ainda lutou durante 18 dias no pronto-socorro de Rio branco, mas também acabou por não resistir e faleceu nesta terça-feira(23).

A jovem sofreu complicações, ainda estava entubada na UTI, e faleceu sem saber que o bebê também não teria resistido. Quem está agora sem chão, é o seu esposo Raimundo Castro, médico de profissão que acompanhou todos os passos da esposa, mas agora está sem saber como contar a filha de 4 anos, sobre o falecimento da mãe, e o irmãozinho que ela tanto almejava ter para brincar.

PUBLICIDADE

Raimundo, recorda como era a esposa e conta que vai deixar muita saudade.

“Agora precisamos de a preparar, para podermos dar a triste notícia. A paty sempre foi um exemplo de mãe, uma menina de ouro, muito sonhadora, estava realizando o seu sonho em fazer curso de psicologia. Nós estávamos há mais de 10 anos casados, e agora com 34 anos ela se foi, pela vontade de Deus, que vai deixar aqui na terra muita saudade.

PUBLICIDADE

Neste momento, me faltam as palavras, de tanta saudade que estou sentindo dela. Nós teríamos planejado de ser quatro, e terminamos por ser só dois. Daqui para a frente, eu vou dedicar-me à educação da minha filha, para ter fé em Deus, se ela um dia conseguir chegar ao que a Paty era, já é um grande orgulho para mim”, disse entre lágrimas.

O médico contou, qual o verdadeiro motivo no qual a esposa não resistiu, ela teve uma pneumonia hospitalar, e a secundária foi o novo coronavírus. Ele relata ainda, que o corpo de Patydan, iria ser sepultado nesta quarta-feira às 10h, no cemitério Jardim da Saudade.

PUBLICIDADE

Do vírus, ela conseguiu estabilizar, mas o problema foi as bactérias que ela pegou ainda na intensiva, que levaram ela para a morte. Além de já ter um resultado negativo para a doença, e continuava na UTI comum, mas o atestado de óbito chegou com o motivo de Covid, então a família tomou a decisão de enterrar diretamente, para que outras pessoas não sejam colocadas em risco”,finaliza Raimundo.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!