Mulher de 36 anos internada com Covid-19 sofre tentativa de abuso no hospital, grava áudio para a mãe levar até à delegacia para fazer a denúncia em MS

O caso ocorreu na unidade hospitalar em Mato Grosso do Sul.

PUBLICIDADE

Nesta quarta-feira (4), uma paciente de trinta e seis anos, hospitalizada para tratamento contra o novo coronavírus, desde o inicio da semana, ela gravou um áudio. No mesmo áudio ela pediu à mãe para levar na delegacia, para denunciar um suposto caso de abuso sexual.

A assessoria de imprensa da unidade hospitalar, disse ao G1, que não vai se manifestar sobre o ocorrido. No qual numa nota enviada, a mesma unidade falou que todos os casos de supostas infrações, nos vários campos, o administrativo e assistencial, irão ser pautados diante os meios éticos e legais vigentes para que as providências sejam tomadas.

PUBLICIDADE

Já na delegacia, a mãe da suposta vítima, que é aposentada e faz faculdade de Direito, disse que numa conversa com a filha por telefone, ela telefonou no dia do ocorrido, de madrugada para saber se a filha tinha dormido bem, mas nessa altura se deu conta que ela estava diferente, quando ficou sabendo do suposto crime.

A mãe disse que ela estava com suspeita do novo coronavírus, e se sentia com dificuldade para respirar, além de sentir outros sintomas. Foi então, que ela levou a filha no UPA, mas logo de imediato pediram uma vaga na unidade hospitalar, porque falaram que ela tinha mais recursos. Foi então que ela já deu entrada debilitada, e a mãe estava acompanhando passo a passo por telefone, quando ela tinha apertado com a filha, e ela contou que tinha acontecido.

PUBLICIDADE

Ainda segundo ela, a filha encontrava-se em estado de choque e em desespero. Ela estava com medo se sofrer represália, ou os colegas deles fazerem algo, no qual ela temia pela vida dela. A mãe falou ainda, que ela precisava sim denunciar, porque poderia correr o risco de ser dopada, e acontecer o pior. Logo após, ela chamou o pessoal da enfermagem e fez a denuncia. Conta ainda, que a filha sofreu uma piora, que iam retirar o oxigênio, mas só fizeram isso agora cedo. Mas ela já melhorou.

Já na delegacia, a mãe da paciente disse que o crime ocorreu por volta das três horas. Que a filha tinha se apercebido que o autor, ficava apertando e passando a mao sobre ela. No qual usou óleo girassol nos dedos, e tentou tocar nas partes íntimas, e ainda pediu para que ela abrisse as pernas. A mulher mesmo debilitada com a doença, conseguiu resistir, e gravou o áudio para a polícia.

PUBLICIDADE

O boletim de ocorrência já foi feito, os agentes vão proceder à transcrição do áudio. O profissional, que não teve a identidade exposta, já foi afastado. A mãe disse ainda, que não coloca a culpa sobre a equipe médica, nem na unidade hospitalar, Mas que tem a certeza, que eles ainda não acreditam nisso.

Mas a unica coisa que não achou certo, foi não terem dado o nome do agressor. No qual ele ainda chegou a dizer o primeiro nome para a filham se apresentou para ela. A mãe diz ainda, que não tem qualquer interesse em arrumar confusão com ninguém, que apenas quer que esse monstro não repita com outras pessoas.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!