Mulher perdeu o pai e o sogro com Covid-19 depois de realizarem uma viagem:”Sempre tivemos consciência da doença, mas nunca pensamos estar tao perto”

O caso aconteceu em Poços de Caldas, no Sul de Minas.

PUBLICIDADE

Um homem morreu com óbito assinado por falta de insuficiência respiratória grave, mas na verdade 26 dias depois foi confirmado que estaria com o coronavírus. Gilberto Loiola, de 74 anos, apaixonado por viagens, ele fez a sua última viagem num cruzeiro até o Caribe, acompanhado com a família e parentes, no inicio de março.

Ainda nessa mesma altura, a filha nunca imaginou que a doença já estivesse tao perto da família, na sequência ela perdeu o pai e o sogro com o novo coronavírus.

PUBLICIDADE

“Nós estávamos acreditando que ele estaria longe,como na altura os números eram baixos,a gente sempre pensou que estaria longe”.

O casal, regressou de viagem no dia 15 março,e três dias depois, Gilberto começou a ter os primeiros sintomas leves, e se dirigiu até ao UPA da cidade, mas os médicos disseram para ele ir para casa. Já no dia 21, os sintomas continuaram, e ficaram um pouco mais intensos, a família começou a pensar que poderia se tratar de algo emocional.

PUBLICIDADE

“Nós pensamos que era algo com o psicológico, pois ele sempre foi uma pessoa muito ansioso. Como ele foi atendido, e a médica falou que estava tudo bem, ficamos mais aliviados”.

Já no dia 27, ele dirigiu-se novamente ao centro de saúde, e realizou alguns exames para ver se o pulmão estaria comprometido, mas nada foi encontrado. Passado três dias, ele voltou a sentir falta de ar, e se dirigiu a um hospital privado onde de imediato foi internado.

PUBLICIDADE

Já no dia seguinte, ele foi levado para a UTI, de um hospital público, porque a família não conseguia suportar os custos ali. Gilberto, realizou diversos exames do coronavírus, e acharam anti-corpos da doença.

Então acabou por ficar internado, em tratamento mas acabou por não resistir e morreu no dia treze de abril. Depois de ter sido comprovado a doença, o resto da família realizou o teste mas ninguém estava infectado.

Ainda nessa viagem, o sogro também foi mais uma vítima fatal para a doença. Nilton Augusto, viajou no mesmo cruzeiro com a família de Carina, e também foi internado no dia 27.

“Nós sabíamos do coronavírus, mas mesmo quando ele fizeram a viagem, aqui ainda não tinha muitos casos, e para onde eles estavam indo, não tinha nada.

Já a operadora do cruzeiro, prometeu que iria realizar uma fiscalização. Então acabamos por ficar mais tranquilos”, relata Carina. Segundo Carina, a situação do sogro era mais preocupante, mas os exames demoraram menos tempo a estar prontos. O Nilton ficou internado, e acabou por falecer uns dias depois de Gilberto.

 

 

 

 

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!