Os policiais investigados pela morte de João Pedro mudama versão anterior sobre a quantidade de tiros e a arma usada na operação

Três policiais civis investigados pelo assassinato do menino João Pedro Mattos Pinto, 14 anos, mudaram a versão dada anteriormente sobre a quantidade de tiros disparados no dia do crime.

PUBLICIDADE

Os policiais investigados que tiveram participação com a morte de João Pedro de 14 anos, que foi baleado no Morro do Salgueiro em São Gonçalo na região metropolitana do Rio de Janeiro, prestaram depoimento e um deles chegou a mudar a versão do depoimento sobre a quantidade de tiros disparados no dia do crime.

Na versão anterior, o que o policial passou foi que ele usou o fuzil 762, no segundo depoimento já declarou que usou um fuzil 556.

PUBLICIDADE

De acordo com os policiais, João Pedro foi morto por um tiro que saiu por uma arma de calibre 556, de acordo com informações os agentes da Coordenadoria de recursos especiais, os policiais deram dois depoimentos diferentes um do outro.

No primeiro depoimento os policiais declararam que haviam atirado 23 vezes, e no segundo depoimento disseram que foram 64 tiros.

PUBLICIDADE

De acordo com os laudos, o tiro que matou João Pedro de 14anos foi pelas costas, ele havia acabado de mandar uma mensagens para mãe alguns momentos antes.

A morte do garoto João Pedro causou grande comoção nas redes sociais, a polícia civil ao todo aprendeu quatro fuzis que foram usados na operação, dois 762 e dois 556.

PUBLICIDADE

O Jovem João Pedro, morreu no dia 18 baleado em uma operação das Polícia Civil e Federal no Complexo do Salgueiro, ele estava na casa de um tio, testemunhas contaram que os disparos feitos na casa pareciam de dentro para fora.

A partir do dia primeiro os familiares de João serão ouvidos na Defensoria Pública, a polícia de homicídios de Niterói está investigando o caso.

Quando a polícia concluiu que João havia sido atingido por um tipo de calibre 556, um dos agentes admitiu que havia usado o fuzil e disparou condizendo com o projeto que estava no corpo do garoto, um amigo de João declarou que os policiais usavam armas pesadas.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Marcos Antonio Martins

Marcos Martins, é mineiro da gema, nasceu no dia 30 de abril 1975, tem dois filhos lindos que não sabe se parece com ele ou com sua esposa, é cheio de defeitos, mas as qualidades são perceptíveis.