Pai do homem negro morto por seguranças brancos nor Carrefour de Porto Alegre, classifica a ação como:”Agressão covarde”

Parente da vítima, fala sobre o ocorrido.

O pai da vítima morta no Carrefour, fala sobre o filho. João Batista Freitas, falou sobre a morte do filho, onde mostra a sua revolta. Ele classifica uma “agressão covarde”, o espancamento aconteceu, após dois seguranças brancos, que levaram João Freitas à morte, na noite desta quinta-feira.

“Cheguei e perguntei, para o rapaz que diz ter sido agredido, o segurança foi agredido, perguntei a ele se “trata de um roubo?”. Ele pegou alguma coisa?”, claro que não’, disse ele dizendo que apenas levou um soco. Mas onde ele disse, que foi atingido pelo soco, não tinha qualquer marca de anel, não tinha o olho roxo”, conta.

PUBLICIDADE

Freitas, estava realizando compras com a esposa, quando de repente fez um gesto para uma fiscal da caixa. Foi então, nesse momento que ele chamou o segurança e foi levado para o exterior do supermercado, onde deram início ao espancamento.

“Até agora, não sei onde deu início a confusão, mas o que está registrado é que muita gente viu o momento de uma agressão covarde, onde três pessoas iniciaram a espancar o meu filho, até leva-lo à morte.

PUBLICIDADE

A mulher que estava próximo dele, ainda tentou puxar o cara que estava enforcando ele, com o joelho usado contra o chão, e o outro segurança, a empurrou”, destaca.

PUBLICIDADE

“Mesmo que, se tratasse de um soco, não existia motivo algum, para tirar a vida de uma pessoa”, declara o pai da vítima João Freitas.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!