Paris Saint Germain “obriga” Neymar voltar para Paris

PSG alerta Neymar que se continuasse no Brasil não poderiam vende-lo, pois prejudicaria sua imagem na Qatar.

PUBLICIDADE

PSG da motivos políticos para Neymar voltar a Paris.

A rebeldia já chegou no limite máximo para o presidente do clube que enviou intimações para o empresario de Neymar Jr., seu pai, avisando que seu diretor, Leonardo iria aumentar o nível das advertências e colocado de banco até o final de seu contrato, se não confirmasse a volta do jogador até segunda-feira (15).

PUBLICIDADE

O pai do jogador se pronunciou dizendo que não ficaria assim, além deles (Paris Sant-Germain) ter quebrado um acordo do contrato, feito em 2017 aonde colocaria Neymar como ´´estrela“ principal, como o traíram tentando vende-lo.

Um agente próximo a Neymar, relatou a Al-Khelaif, presidente do Paris Sant-Germain, que Neymar Filho queria um acordo para diminuir seu salário para (101 milhões) 24 milhões de Euros, se assinassem a venda para o clube Barcelona.

PUBLICIDADE

Ao ver que Neymar boicoitava a sua volta, o presidente o ameaçou de ter o mesmo destino de Rabiot, que ficou de “geladeira” por insubordinação.

Seu empresario ao saber da nota do clube PSG respondeu com ironia:”Ele não pode ser comparado ao Rabiot que recebe 4 milhões pra ficar de banco, enquanto meu filho esta no Brasil ganhando 24 milhões ate o final da temporada, e também a respeito da equipe que vai se esforçar para levar a vitória à equipe”.

PUBLICIDADE

Após calcularem a despesa que teriam, ligaram para Neymar Jr. para viajar a Paris, com um castigo menos severo e para uma venda rápida do jogador.

A venda do jogador não pode ser menos de 100 milhões de reais, pois o clube que é representado pelo Qatar o comprou por 222 milhões, isso seria desrespeito.

Essa proposta foi o único motivo para a volta do Neymar a Paris, onde se reapresentou, nesta segunda-feira passada (15). Voltando aos treinos às 4h (06 horas no horário de Brasilia).

Teve uma reunião com o presidente e o diretor do clube, aonde o assunto foi sobre o atraso do jogador e a punição do ato. A reunião teve a duração de alguns minutos,  segundo o jornal ´´Le Parisien“.

O time do Barcelona não se pronunciou sobre o caso, mas o clube do PSG confirmou o contado com o Barcelona.

PUBLICIDADE

Escrito por Pedro Henrique

Amo escrever sobre todo o tipo de assunto, notícias e atualidades são minha paixão. Contato: [email protected]