Projeto de lei quer obrigar escolas á reduzirem as mensalidades em pelo menos 30%

A proposta elaborada pelo deputado Rodrigo Gambale, determina que as escolas façam a redução de pelo menos 30% no valor das mensalidades enquanto as crianças estão em período de quarentena.

PUBLICIDADE

Um projeto de lei foi oferecido pelo deputado estadual Rodrigo Gambale (PSL-SP) , que estabelece que as unidades de ensinos privadas do estado de São Paulo reduzam as mensalidades.

Isso ocorrerá durante o período em que as crianças não estão frequentando as escolas por causa da quarentena determinada pelo ministério da saúde devido a pandemia do novo coronavírus.

PUBLICIDADE

O projeto de lei nº 203/2020 avalia a redução de pelo menos 30% no valor das mensalidades, sendo inclusas as unidades de ensino fundamental, médio e superior.

O deputado justificou o projeto, afirmando que as unidades de ensino estão com as atividades reduzidas, como nos itens de limpeza, espaço, segurança, energia e alimentação dos funcionários e até mesmo dos alunos.

PUBLICIDADE

E isso ocorre devido a suspensão das atividades realizadas nas escolas, já os responsáveis que arcam com as despesas financeiramente, acabaram sendo afetados pela pandemia, e por isso podem ter dificuldades.

E assim pode acabar não conseguindo honrar com os seus compromissos com a escola, por isso é mais do que justo que possam ser contemplados com a redução das mensalidades.

PUBLICIDADE

O projeto de lei foi divulgado nesta última sexta feira, dia 3 de Abril, através do diário Oficial da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

Mas ainda precisará passar por análises feitas pela casa, e se após isso for aprovada, as escolas que possuem calendário regular, com recesso semestral, já poderão incluir essa redução a partir do 31º de adiamento das aulas.

Já no caso das creches, dos internatos e as demais unidades que possuem ensino integral, terão que reduzirem a mensalidade de imediato.

O desconto preciso precisará entrar em vigor até pelo menos o final do plano de incontingência do novo Coronavírus da Secretaria de Estado da Saúde

Ainda conforme o texto divulgado, o não cumprimento ocasionará na aplicação de multas de acordo com os termos Código de Defesa do Consumidor, conforme os órgãos que são responsáveis por essas fiscalizações.

PUBLICIDADE

Escrito por Margareth Santos

Gosto de dedicar uma parte do meu tempo levando noticias e informações através de matérias relacionadas a tudo, inclusive de saúde, culinária, famosos e do mundo da maternidade.