Recém-nascido vence a Covid-19 depois de permanecer oito dias hospitalizado em UTI: “Vencemos uma batalha”, relatou a mãe

O bebé foi hospitalizado tinha apenas onze dias de vida.

PUBLICIDADE

Após ter passado oito dias hospitalizado, um recém-nascido se recuperou da doença do coronavírus, na UTI neo-natal. Segundo a mãe, do pequeno e guerreiro Pedro Henrique Mendes Cruz, ele teve febre alta, depois dos pais terem contraído a doença, e necessitou de ser internado numa unidade hospitalar de Santos, no litoral de SP.

O pequeno Pedro, nasceu a 2 de abril, e quando tinha apenas onze dias de vida, ele precisou de ser hospitalizado na UTI, no último dia treze. De acordo com Patrícia Rodrigues Mendes, de trinta e cinco anos, analista de transporte, e mãe do bebê. A família é de São Vicente.

PUBLICIDADE

A recém mamãe, conta ainda que não sabe como contraíram a doença, porque sempre tomaram todos os cuidados, e usaram máscaras. Ela conta ainda, que quando os primeiros sintomas surgiram, ela pensou que fosse devido ao parto, e à sinusite.

No qual quatro dias depois, ela perdeu o olfato e o paladar, e depois ela conta que acreditou que poderia ser a doença. De acordo com Patricia, o marido teve tosse seca, dor no corpo, além de também ter perdido paladar e olfato.

PUBLICIDADE

Continuando, ela relata que o filho surgiu com sintomas no dia treze de abril, mesmo com febre que estava com 38 graus, no qual durante o dia todo ele não melhorou.

Ela disse ainda, que mesmo estando no pronto-socorro, com o filho a realizar todos os exames de sangue, urina e punção lombar, todos os resultados deram negativo, para qualquer outro tipo de infecção. Por isso, resolveram que o melhor seria internar, após terem esclarecido sobre as normas de não permitirem que o recém-nascido abandonasse a unidade, conta.

PUBLICIDADE

Patricia contou que o filho permaneceu durante oito dias internado, na UTI neo-natal em isolamento, juntamente com outras crianças recém-nascidas, fazendo tratamento com antibiótico, durante sete dias.

A analista disse ainda, que nesse tempo que o seu bebé permaneceu internado, foi a pior dor que sentiu, no qual no inicio pensou que ela permaneceria com ele, mas não conseguiu, devido a estar com a doença, e não ter lugar apropriado para ficar com ele.

Foi então que Patricia conta que perdeu o chão, ao chegar a casa e ver que o berço vazio. No qual a dor era tao grande, que pensou que não aguentaria. Foram então os piores dias da vida dela, finaliza.

 

 

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!