Reviravolta: investigações descartam tiro acidental contra Isabele e polícia diz que amiga atirou para matar

O depoimento da amiga deixou diversos furos e com a ajuda da perícia, os policiais concluíram que não existiu nenhum disparo acidental.

PUBLICIDADE

O caso da morte de Isabele Guimarães Ramos, uma jovem que levou um tiro da própria amiga, ganhou mais um capítulo recentemente. Após as investigações da Polícia Civil, foi descartado qualquer chance de que a amiga de Isabele tenha disparado a arma de fogo sem querer.

Tudo aconteceu em um condomínio de luxo em Cuiabá e a colega sabia com toda a certeza do mundo o que estava fazendo. No depoimento a garota de 14 anos teria contado aos policiais que foi um disparo acidental.

PUBLICIDADE

Porém, ela deixou muitos furos em seu depoimento e com a ajuda da perícia, foi concluído que a adolescente sabia o que estava fazendo. Wagner Bassi, delegado responsável pelo caso, falou sobre o caso nesta última quarta-feira, dia 02 de setembro.

Para Wagner se trata de uma criança extremamente capacitada apesar da pouca idade. A família possui prática de tiro e ela é muito bem treinada.

PUBLICIDADE

O delegado explicou que a jovem tinha conhecimentos que apenas alguém que passou por um treinamento de tiro poderia ter. Isabele teve uma arma apontada para o seu rosto com uma distância menor que 30 centímetros.

O caso ganhou repercussão na mídia brasileira e nas redes sociais. Mesmo com 14 anos, a garota vai responder por seus atos e indiciada por homicídio doloso.

PUBLICIDADE

O homicídio doloso acontece quando a pessoa tem intenção de tirar a vida outra. Foi essa a conclusão que Wagner teve ao analisar o caso.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.