Turista que morreu afogado em Fernando de Noronha comemorava 30 anos de casado: “Tudo estava perfeito até que se transformou em pesadelo”

José Edvaldo da Silva, de 52 anos, morreu após fazer mergulho usando prancha puxada por barco. Ele foi enterrado na tarde de terça-feira (25), em Ribeirão Branco, cidade onde nasceu e morava com a família.

PUBLICIDADE

O relato de Elizabeth Werneck Cordeiro Silva de 45 anos sobre o acidente que aconteceu com o marido em uma viagem que eles estavam fazendo em Fernando de Noronha.

Eles eram casado há 29 anos e estava naquele momento comemorando iriam completar 30 anos no dia 8 de Junho, era uma viagem de comemoração estava tudo perfeito, todos alegres.

PUBLICIDADE

Após ele mergulhar usando uma prancha que estava sendo puxado por uma lancha aconteceu o acidente no porto de Santo Antônio na tarde de quinta-feira dia 21.

Estavam viajando somente os dois comemorando a união eles haviam estado em Fernando de Noronha alguns anos atrás, gostaram muito e por isso decidiram repetir a viagem e conhecer outros pontos turísticos que não tinham conhecido, gostavam de fazer trilhas caminhadas e aventuras.

PUBLICIDADE

Planejaram tudo para essa viagem tudo estava perfeito até que nesse dia ele fez o mergulho na ilha e pela primeira vez ele foi puxado pela prancha, seria algo individual mas tinha sete pessoas puxadas pela corda.

A esposa conta que estava ao lado do esposo no momento que estava sendo puxado tudo estava bem após completar o passeio ela procurou pelo marido mas não encontrou, ela perguntou e o barqueiro disse que ele poderia estar no banheiro.

PUBLICIDADE

Ela ficou muito nervosa entrou em pânico a porta do banheiro estava fechada e não tinha ninguém, ele não estava lá, o corpo de bombeiros foi acionado e rapidamente chegaram ao local e começaram a fazer as buscas.

Em pouco tempo os bombeiros chegaram ao local e resgataram Edvaldo eles iniciaram a reanimação eles chegaram a conseguir os batimentos cardíacos, José Edvaldo foi levado para o hospital mas logo veio a notícia que ele não havia resistido.

A médica disse que o coração estava fraco o estado era muito grave em pouco tempo o coração parou e não voltou mais, o corpo de José Divaldo foi enterrado no dia 25 em Ribeirão Branco.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.